Canal Içara

Canal Içara

22 de agosto de 2019 - 17:40
Opinião: Estamos sem Plano de Saúde
31/01/2012 às 14:54 | Professora Derlei Catarian De Luca
Ouvi atentamente na manhã de segunda-feira, dia 30, o senhor Milton Martini, secretário de Estado da Administração, falar sobre o plano de saúde dos servidores estaduais. Não sei se é caso de psiquiatra, de polícia ou cara de pau mesmo.

Secretário, qual é o 0800 que funciona bem? Pode apontar um? Quantos assessores têm para acertar suas consultas, suas viagens, suas malas e passeios? Quantos assessores tem um professor ou um policial, para ficar na lenga lenga do 0800 tentando marcar uma consulta?

Você ligou para o SC Saúde, angiologia disque 1, pediatria disque 2, ginecologia disque 3, ortopedia disque 4, endocrinologia disque 5, gastroenterologia disque 6, geriatria disque 7, nefrologia disque 8, oftalmologia disque 9, neurologia disque 10. Ou aguarde na linha....

Daí vem uma musiquinha irritante enquanto a pessoa morre do coração ou joga o telefone fora, já que não conseguimos ainda jogar fora certos políticos. Quantos professores e policiais possuem computador em casa? Quantos têm tempo de ficar buscando informações na Internet? Nós não temos assessores para fazer isso.

O Governo do Estado prometeu que receberíamos as carteirinhas em casa. Quando? De todos os professores que conheço apenas dois receberam a carteirinha até agora e rejeitaram o plano, buscando alternativas. Os demais nem receberam.

Sei e todo mundo sabe que os profissionais bons, sejam professores, médicos ou policiais, trabalham bem sejam pagos ou mal pagos. Contudo, eu não posso e não quero depender da caridade alheia para ser atendida quando necessitar de um médico. Se forem bem remunerados, pelo menos podemos exigir que trabalhem bem.

Educação, saúde, segurança sempre foram as reivindicações mínimas da sociedade e a promessa dos governantes. Humanização nos tratamentos e relacionamentos é recomendação de psicólogos, psiquiatras e educadores. Nada substitui o contato pessoal para qualquer tipo de atendimento.

Nas sociedades preocupadas com o ser humano, existe até visita aos doentes em suas residências. E Santa Catarina, ao invés de avançar, retrocede. E temos de ouvir o secretário tentar escamotear a verdade. Porque a verdade é que nós, os 180 mil servidores do Estado, estamos sem assistência médica. Às vezes, como hoje, tenho vergonha dos governantes do meu estado.

Senhor secretário – eu tenho nome, rosto e endereço.


Opinião: Preocupação em 200 dias letivos??
05/01/2012 às 14:34 | Valdir Machado da Silva, bancário e professor de matemática em Içara
Não sei por que a preocupação extrema da sociedade, dos pais, pelos 200 dias letivos de aula nas escolas estaduais. Como professor de Matemática estou preocupado é com o aprendizado dos alunos. Começa ano e termina ano, é sempre a mesma coisa.

Professores no conselho de classe questionando a média cinco: se o aluno tem média cinco tem que passar? Tudo pode até mesmo aquele aluno que não quis nada com os estudos durante os 200 dias letivos. No ultimo conselho, para alguns professores ele se torna coitadinho, tendo média cinco não roda. Mas faço uma analise: Como esse aluno chegou a cinco, foi com “provinha” em dupla ou com consulta?

Deixando claro que apenas prova não avalia o aluno e sim, o dia-dia em sala de aula. Então o aluno falta e não tem interesse e no fim do ano precisa ganhar no provão 5,9, mas ganha zero no provão e passa pelo conselho que é deliberativo. Mas, não consegui ficar tranqüilo, desde o conselho de classe.

Fico pensando nas aulas que irão começar no mês de fevereiro. O professor estressado, alguns alunos sem vontade de aprender, alguns pais que acham que professor é para educar seus filhos e o principal esta sendo, a cada ano, esquecido, o aprendizado. Vários professores acham que a prova não avalia o aluno, que tem que ser feito “trabalhinho, provinha e dupla, e prova com consulta”, porque o Governo Federal para avaliar o conhecimento, faz varias provas, e a prova no ENEM?

Por que as escolas estaduais estão sempre em últimos na classificação? Quero acreditar que esse ano, principalmente o professores possam analisar melhor cada aluno para quando chegar ao final de 2012 e não aconteça o que aconteceu em 2011. Ainda hoje, não consigo dormir direito, vendo reportagens na televisão de alunos reclamando que passaram “empurrados”, sem entender nada. Na minha pesquisa em 2011 com alunos que reprovaram eles não concordam que alunos passam sem entender, também não concordam com professor que acha que deve passar alunos que estão só brincando em sala de aula.

Quem roda é o aluno, e quem passa é o aluno. O professor é apenas o auxiliador. Professor que esta em uma sala de aula com seriedade, conhecimento do conteúdo, e sabendo repassar o conhecimento do conteúdo para o cotidiano do aluno, tem que saber diferenciar alunos que querem aprender com alunos que estão indo para o colégio apenas por obrigação.


Reflexão: Feliz Natal!
25/12/2011 às 09:39 | Conferencista Jairo Martins
Jesus nasceu. Mas nasceu em nós? Nasceu com a missão de ser alguém que mudaria a história da humanidade. Nasceu com um propósito de morte. Morreu para que tenhamos vida. Jesus não nasceu no meio dos holofotes. Nem a mídia, nem as redes sociais deram ênfase à capitalização deste nascimento.

Para os céus estava se iniciando a maior história da civilização. O nascimento de Cristo trouxe a lição da humildade. Trouxe o senso de vir ao mundo em meio às imperfeições das pessoas que o receberam, mesmo que muitos não o recebessem nem o reconhecessem. Jesus precisou ensinar as lições mesmo no seu nascimento. As lições de quem veio para ser referencial para a existência da felicidade.

Aquele que veio para ser onipotente para que a impotência humana veja o quanto Ele é necessário. Veio para ser onipresente, mesmo quando as pessoas, supostamente acham que estão sozinhas. Veio para ser onisciente, mesmo que as pessoas acham que seus esconderijos interiores nunca serão revelados.

Cristo haveria de nascer para mudar o curso das coisas. Nasceu para que pudesse nascer a palavra “esperança”. Jesus não se esquivou de buscar o melhor de Si para alimentar quem era desprezado pelo falível homem. Nasceu para servir e, não para julgar. Nasceu para ser mordomo. Nasceu para entender as emoções e os corações das pessoas sem objetivos, desistentes.

Nasceu para entender os mais incompreensíveis seres que não acham rotas lógicas para vitorias existenciais. Jesus é mais que Natal, é compromisso com os corações . Doar-se incondicionalmente sem estabelecer critérios de troca. Ironicamente ou não, somos a Sua imagem e semelhança, porém nos perguntamos se, realmente Cristo nasceu em nós.

Se Ele nasceu em nós, somos o reflexo Dele no nosso dia a dia, na nossa família, no nosso trabalho. Somos voluntariosos na arte de servir as pessoas, somos empreendedores do cultivo de sorrisos. Se Ele nasceu em nós, um feliz Natal para quem O tem em seu dia a dia. Caso contrário receba-o e tenha um Natal realmente feliz, sem a ilusão de quem somente ouviu falar Dele , mas não teve experiências do nascimento no seu coração.


Opinião: Içara, a capital do lixo
22/12/2011 às 17:30 | Oceanógrafo José Nestor Cardoso
Conforme muito bem colocado na reunião da Câmara Municipal, nossa cidade está com a clara identidade de Capital do Lixo. O lixo representa hoje um dos maiores problemas do planeta e aumenta a cada dia associado a uma sociedade regida pelo consumo. Segundo o IBGE, no ano 2000 já havia produção de quase 230 mil toneladas de lixo diárias no Brasil.

Considerando que nos últimos 10 anos houve uma diminuição no nível de pobreza e um aumento considerável do consumo, pode-se supor que atualmente mais de 300 mil toneladas de lixo são geradas a cada 24h. O consumo derivado de melhores condições econômicas, a facilidade proporcionada pela economia globalizada, a industrialização e o aumento desenfreado dos produtos e embalagens descartáveis levam ao aumento dos rejeitos.

Com exceção poucos países, como Japão, Bélgica, Finlândia e Suécia, que investem pesadamente em sua redução, na maior parte do mundo o lixo aumenta de forma exponencial. Uma observação simples pode ser feita em casa, avaliando quanto volume de lixo é gerado. A reciclagem tem crescido em alguns pontos, mas é insignificante comparado com o volume de lixo gerado.

A reciclagem apenas chega a frações ínfimas do total de lixo produzido, especialmente quando sabemos que apenas uma parcela minúscula do lixo pode ser aproveitada para reciclagem pela tecnologia atual. Lembremos ainda que lixo tecnológico, hospitalar e biológico apresentam particularidades que os tornam ainda mais complicados do ponto de vista do manejo, bem como lixo tecnológico com metais pesados de toda sorte e componentes carcinogênicos. De um modo geral, há dois destinos: ou é incinerado ou enterrado. E nenhum destes destinos é bom para o planeta.

A incineração gera gases tóxicos lançados na atmosfera, partículas sólidas e ainda consome grandes quantidades de combustível que acaba gerando gases que contribuem para o efeito estufa. Os aterros sanitários, nome pomposo para lixo enterrado, é uma fonte de pragas, contaminação do solo e poluição de lençol freático. Mesmo que existisse uma fiscalização eficiente, ainda assim teríamos um grande problema ambiental e ao longo do tempo os lixões esgotam suas capacidades.

A utilização de espaços de antigos lixões tem provocado problemas como recentemente detectados no Shopping Norte em São Paulo. Há risco de explosão pelo acúmulo de gás. Ou seja, além da poluição visual, hídrica, de solo e atmosférica, acabamos ficando com extensas áreas inóspitas e condenadas. É impensável que uma cidade como Içara esteja aceitando resíduos de 15 municípios. Resta saber quem autorizou, quem defende esta situação e que benefícios pessoais estejam alcançando, pois certamente a cidade e sua população só tem a perder.


Opinião: O pulso ainda pulsa
18/12/2011 às 10:31 | Dentista Vilson Schambeck
Ouvi certa feita “chegará o dia em que o honesto terá vergonha de ser honesto”. Olhe ao seu redor e perceba que este dia já chegou. O erro, hoje, é algo comum. Algo normal, amplamente aceito por nossa sociedade. Denegrir, falsear a verdade, fugir para com suas responsabilidades... Enfim o mundo parece um engodo.

Fingimos que não vemos isto ou aquilo. Somos covardes. Testemunhamos fatos, mas fugimos quando intimados. Não queremos nos incomodar, não foi comigo... O outro que se dane. Não pensamos coletivamente. Esquecemo-nos que ao lutar pelo todo, lutamos por nós próprios também. A luta coletiva tem mais força. Uma luta por saúde, educação, dignidade. Pleiteamos mudanças, mas não somos capazes de mudar a nós próprios.

Somos de fato cada vez mais hipócritas, covardes, imaturos, inconseqüentes. Miséria, baixos salários, falta de educação, comportamento desumano... Nada mais nos afeta. Estamos cauterizados, encarcerados num filme em terceira dimensão. É cada um por si neste vale tudo. Seja sincero com você mesmo, não envergonhe a Deus. Esqueça o Natal, Páscoa... Não vá a missa, ao culto ou a qualquer outra celebração religiosa. Dê o seu acento para outro. Pare de ocupar espaço. Se as pregações não encontram guarida em nossos corações, para que então dizer-se religioso.

O fato é que transformamos nossas igrejas num clube social. Nada além disto. Um encontro para desfilar um belo traje de fim de semana. Onde está o “bom dia”, o “com licença”, o “me desculpe”. Onde já se viu trabalhar uma vida inteira para depois passar os últimos dias de sua vida mendigando o pão, pois é isto que a grande massa de aposentados faz. O que eles ganham mal dá para pagar a conta da farmácia. Onde já se viu um jovem de 17 anos não ceder lugar no transporte coletivo para uma pessoa idosa, como já vi acontecer.

Que país é esse que um político se aposenta com salário integral após quatro anos de mandato. Vergonha!!! Esse é o nosso país. Um país que literalmente pára diante da copa do mundo, mas que não se une ante as mazelas sociais. Engodo, depois virá a “propaganda eleitoral gratuita”. Falácia. Prometem sempre as mesmas coisas: saúde, educação e segurança. Mas eles possuem planos de saúde, põem seus filhos na rede particular de ensino e suas casas vivem cercadas dia e noite por empresas de vigilância. Mentira!

Não acredite nessas promessas. Nada vai mudar. Nada, absolutamente nada. Temos que mudar a nós próprios primeiro. Seja exemplo para seu filho. Ore, busque, engaje-se, faça acontecer, testemunhe, faça você a diferença. Precisamos de líderes. Mas o líder não é forjado no banco de um MBA qualquer. A liderança nasce no fogo. O deserto de ontem será a tua lavoura amanhã. Precisamos de pessoas que tenham conhecido o sofrimento de perto, pois só estes são capazes de saber o que de fato o povo precisa.

Há muitos que ao pegarem um jornal só lêem três coisas: horóscopo, resumo das novelas e colunas sociais. Onde está o pensamento crítico? Onde está o cidadão? Sinceramente, para muitos a vida é uma balada de um tom só: EU, EU, EU. Me desculpem mais este desabafo, mas o pulso ainda pulsa.


Envie também o seu artigo para opiniao@canalicara.com. Para ter o texto publicado é necessário se identificar. A postagem não significa que o portal concorde com a opinião.