Canal Içara


17 de agosto de 2017 - 18:21
Criciúma devolve resultado da primeira rodada ao Santa Cruz
09/08/2017 às 03:46 | Erik Borges - erik.borges@canalicara.com
Após duas derrotas, o Criciúma supera o Santa Cruz/PE, por 2x1, no Estádio do Arruda, nesta terça-feira, dia 8. Resultado nada mais do que um ressarcimento da primeira rodada, na qual o time catarinense foi derrotado pelo mesmo placar, em pleno Estádio Heriberto Hülse. Os três pontos também acabam amenizando a sequência negativa e recoloca o time nos trilhos. Vencer na primeira rodada do returno é simbolicamente positivo.

Começa a série de revanches?
No primeiro turno, o Criciúma fez um ponto nos primeiros cinco jogos. Mesmo com a arrancada que o time produziu, o torcedor sabe que, caso o início do campeonato não fosse tão desastroso, a equipe catarinense poderia estar no G4 com facilidade.

Neste momento, com novo técnico, equipe entrosada e bem posicionada na tabela, é possível que o Criciúma inicie uma série de revanches. Contra o Santa Cruz, a missão foi bem sucedida.

Visitante importuno
Fora de casa, o Criciúma conta com quatro empates, três vitórias e quatro derrotas. São 13 pontos obtidos fora de domínio territorial criciumense. Tradicionalmente, o Tricolor Sul-catarinense sente grande dificuldade em lidar com adversários fora de casa, mas, em 2017 é possível considerar o Criciúma como um forte visitante na Série B do Brasileiro.

O atual elenco se apresenta destemido, independente do adversário. Exemplo disso foi o empate com o Internacional (12ª rodada), em que a vitória escapou nos minutos de acréscimo da segunda etapa. Essa ousadia fora de casa é primordial para uma campanha regular, ao menos na tabela da classificação.

Alex Maranhão brilhou
O protagonista do confronto é Alex Maranhão, com um gol e uma pré-assistência. O gol de Silvinho só foi possível por causa do passe refinado do meia. No segundo gol, em cruzamento de Erick Flores, Maranhão finalizou com classe. O atleta foi decisivo para o resultado positivo desta terça-feira, dia 8.

Além disso, o jogador se mostra extremamente comprometido com o clube e com o grupo de jogadores. Repetidas vezes, Alex Maranhão declara-se feliz em vestir a camisa do Criciúma e sempre que solicitado, se esforça para ter bom desempenho em campo. Na Série B, campeonato longo e desgastante, Maranhão será de grande valia para manter o bom nível no setor de meio-campo da equipe.

Além dele, novamente o goleiro Luiz protagonizou defesas difíceis, que originaram de escanteios e chutes de curta distância. É um líder em campo e contribui diretamente para a obtenção dos resultados positivos.



A zaga do Criciúma não merece o bom goleiro que tem
05/08/2017 às 00:30 | Erik Borges - erik.borges@canalicara.com
O sistema defensivo do Criciúma não está à altura do goleiro Luiz. A dupla Edson Borges e Nino não deu certo. Raphael Silva precisa retornar à zaga urgentemente. É questão de sobrevivência na Série B do Brasileiro. Se o Tigre quiser continuar a acreditar em acesso, precisa rever, além da zaga, os laterais. Oscilação explícita. Não existe segurança pelos flancos do campo, principalmente no setor defensivo.

O camisa 1 tricolor cobra dos defensores, dá dicas, gesticula, tenta, de alguma forma, organizá-los. Mas é impressionante a facilidade que os adversários (nos últimos dois jogos) apresentam em trocar passes e atravessar a bola na área do Criciúma. Isso também se deve à ausência de participação por parte dos volantes. Nesta partida, diante do Brasil de Pelotas, nem Douglas Moreira conseguiu ter boa atuação no setor de meio campo.

Do meio para frente, o trio Caio Rangel, Silvinho e Lucão fizeram boa partida. Silvinho pode ser considerado o melhor do Criciúma neste sábado, dia 4, na derrota tricolor por 2x1. Buscou jogo, se esforçou e finalizou quando necessário.

O técnico Luiz Carlos Winck precisa rever as falhas do Criciúma o mais rápido possível. Com característica de priorizar a defesa das equipes que treina, Winck não terá tarefa fácil para corrigir esse problema. Mas não há alternativa: conserta o erro ou paga com derrotas consecutivamente constrangedoras.


Atuação atípica, mas não menos preocupante
02/08/2017 às 04:27 | Erik Borges - erik.borges@canalicara.com
Não há dúvida de que o atual grupo de jogadores do Criciúma tem qualidade. Tanto é que, há pouco tempo, o time obteve a marca de nove jogos sem perder na Série B do Brasileiro. Mas, nesta terça-feira, dia 1, no Castelão/CE, diante do Ceará, o Tigre teve atuação atípica. O sistema defensivo da equipe catarinense fez um jogo vergonhoso, com direito a gol contra, de Edson Borges. Placar final: 3x1 para a equipe cearense.

Mas esse erro nem foi o mais constrangedor. No segundo gol, Diego Giaretta fez o que se aprende a não fazer desde muito cedo: cortar a bola para o meio da área. Foi bizarro ver a bola sair da área e o próprio defensor direcioná-la novamente para a zona de perigo, logo nos pés do adversário.

No terceiro gol sofrido, uma série de erros. Nenhum volante se esforçou para o primeiro embate, a zaga marcou a bola e esqueceu dos atacantes na área. Erro primário. Os zagueiros e os laterais foram desconcertados com extrema facilidade. Facilidade que chega a assustar. É preocupante ver esses tipos de erros acontecerem, porque fica a dúvida para futuras partidas decisivas. Como a equipe irá se comportar?

O que se espera é que esse jogo tenha sido apenas uma atuação atípica do Tricolor Sul-catarinense. Mas isso não tira a necessidade de imediata correção por parte do técnico Luiz Carlos Winck sobre seus comandados.


O dever e o mérito de superar o lanterna da Série B
29/07/2017 às 23:57 | Erik Borges - erik.borges@canalicara.com
Como a Série B é rigorosa, não? Como ela exigente, não acha? Competição de pontos corridos que cobra desempenho regular e, de acordo com a posição na tabela, impõe aos times a obrigação de vitória sobre determinado adversário que se encontra debilitado. Ao mesmo tempo em que a equipe que está debilitada é cobrada para superar o adversário, na tentativa de sair da situação em que se encontra. É complexo, mas assim pode ser resumida a segunda divisão nacional.

Exemplo do que foi dito acima é o confronto entre Náutico e Criciúma, disputado neste sábado, dia 29, na Arena Pernambuco. Jogo da 17ª rodada, o time pernambucano na lanterna, pressionado a sair dessa situação, em disputada com o Criciúma, relativamente bem posicionado na tabela de classificação, porém, não menos pressionado que o Náutico. Porque a pressão do Tigre é outra. É a pressão em se manter na briga pelo G4.

Cada time briga por seus objetivos momentâneos ou objetivos pré-fixados. No cronograma do Criciúma, a vitória sobre o Náutico era uma obrigação. Partida disputada contra o último colocado sempre recebe a pressão de vitória. Isso porque avalia-se a sequência negativa que o Náutico se encontra. Portanto, a vitória do Criciúma sobre a equipe pernambucana, por 2x1, foi obrigação cumprida.

Mas isso não tira o mérito da equipe. Vencer na competição é sempre importante, independente do adversário. Três pontos são sempre três pontos. Mérito total da equipe carvoeira. O goleiro Luiz fez defesas consideradas difíceis e garantiu o resultado positivo. Correspondeu às obrigações e foi competente em sua atuação.


Pontos cruciais: próximo ao G4 e nem tão longe do Z4
22/07/2017 às 22:45 | Erik Borges - erik.borges@canalicara.com
Próximo do G4, mas nem tão longe do Z4. Por esses motivos que a vitória do Criciúma, por 2x1, sobre o ABC se torna tão importante. Os três pontos obtidos neste sábado, dia 22, no Estádio Heriberto Hülse foram cruciais para deixar o Tigre bem posicionado na tabela de classificação da Série B do Brasileiro.

A distância do G4 é de três pontos. Já a diferença até o Z4 é de seis. Ou seja, é difícil afirmar quem está em boa ou má fase quando analisa-se a classificação da segunda divisão nacional. Porque qualquer sequência positiva ou negativa pode desfigurar o atual cenário classificatório.

Além disso, vencer em casa, com o apoio de 3 mil torcedores, fazer o dever de casa é sempre gratificante. A vitória foi sobre um integrante da zona de rebaixamento, mas isso não diminui o mérito da equipe.

Primeiro gol anotado por Lucão, com marca de artilheiro. A bola rebate e, no susto, vai parar dentro do gol. É assim mesmo. Gol de centroavante não precisa ser explicado. O importante é fazer a bola cruzar a linha e balançar as redes.

O segundo gol, mérito total de Barreto. O volante realizou jogada de atacante. Partiu em velocidade, se desvencilhou da marcação e finalizou. Caio Rangel, que estava no lugar exato, empurrou para o fundo do gol.

No gol sofrido. Falha do goleiro Luiz. Foi pego no contrapé e não soube calcular a trajetória da bola. O adversário chutou para o chão e pegou o goleiro desprevenido. Esse tipo de bola é difícil de defender, mas não deixa de ser uma falha. Goleiro profissional deve estar sempre atento a essas pegadinhas do futebol.

Nas próximas duas rodadas, dois jogos fora de casa. A expectativa é de vitória no próximo jogo, visto que o Náutico (próximo adversário) é o lanterna da competição, com apenas oito pontos. Na sequência, confronto com o Ceará. Em previsão otimista, é possível que o Tigre volte a jogar no Estádio Heriberto Hülse já integrando o G4.


*Erik Borges Vieira é acadêmico de Jornalismo e torcedor do Criciúma Esporte Clube