Canal Içara

Canal Içara

20 de agosto de 2019 - 09:16
Criciúma afasta melhor zagueiro do time
02/10/2014 às 14:19 | Erik Borges - erik.borges@canalicara.com
A situação já não estava nada fácil. Agora a torcida carvoeira foi pega de surpresa com a notícia de que o zagueiro Fábio Ferreira está afastado do grupo tricolor em virtude de problemas disciplinares. Se há um momento na temporada que não poderia acontecer um episódio como esse, é agora. O time vive um momento delicadíssimo na tabela de classificação da Série A. Está em 19º com 24 pontos restando 13 rodadas para o término do campeonato. Somos o pior ataque e o pior visitante. Não bastasse tudo isso, mais um problema interno.

O zagueiro realmente não é um dos jogadores mais disciplinados do time. Mas dentro de campo ele honra a camisa do Criciúma Esporte Clube e defende a equipe de forma a se orgulhar. É um excepcional defensor tecnicamente falando. Impõe respeito no sistema defensivo, jogador experiente no mundo da bola, acostumado com jogos difíceis. Seria importante também no sábado, contra o Atlético Mineiro, no Heriberto Hülse.

Não há atualmente no clube um zagueiro que supra a ausência de Fábio Ferreira. No entanto, novos defensores chegaram para vestir o manto tricolor. No próximo jogo o técnico Gilmar Dal Pozzo escala a dupla de zaga com Ronaldo Alves (que está acostumado com pressão, pois já jogou no Atlético-PR, Internacional e Náutico) e Joílson (atleta formado nas categorias de base do Tigre) que tenta se firmar na titularidade após atuação razoavelmente boa contra o Chapecoense na rodada 25.


Trave impede vitória do Tigre no Oeste
28/09/2014 às 09:20 | Erik Borges - erik.borges@canalicara.com
Uma bola na trave no último lance do jogo na Arena Condá marcou o duelo de sábado, dia 27. A partida entre Criciúma e Chapecoense teve uma jogada crucial aos 49 minutos da segunda etapa em jogada do Tricolor nos pés de Souza. Ele driblou o goleiro e com o gol aberto esbarrou na baliza.

A primeira etapa foi de domínio da Chapecoense. O Verdão do Oeste tomou a iniciativa ofensiva pelo fato de estar jogando em casa com o apoio da torcida. Já o Criciúma teve a mesma postura adotada em todos os jogos fora de casa, ou seja, sem volume de jogo. Foi questão de tempo para o time de Chapecó abrir o placar: 1x0.

Pra piorar, o centroavante Zé Carlos (que até agora não mostrou porque veio) se desentendeu com o adversário e acabou expulso aos 45min junto com Bruno Silva, da Chapê. Uma atitude decepcionante. Afinal, o técnico Gilmar Dal Pozzo deixou o “Zé do Gol” no banco para a partida no Oeste de Santa Catarina. Isso aconteceu para que Souza entrasse e, aos oito minutos da segunda etapa, marcasse o gol de empate em uma cabeçada oportunista e certeira.

Após o 1x1, o Tigre se impôs na partida e demonstrou um bom desempenho. Deu a entender que teria condições para virar o placar a seu favor. Infelizmente a meta do goleiro Danilo impediu que o Carvoeiro saísse com os três pontos. A questão que agora fica é: será que Zé Carlos perdeu a titularidade para Souza?


Tigre perde e permanece na zona da degola
24/09/2014 às 22:23 | Erik Borges - erik.borges@canalicara.com
O Criciúma enfrentou o Internacional e perdeu por 3x0 nesta quarta-feira, dia 24. O técnico Gilmar Dal Pozzo preferiu optar pelo centroavante Zé Carlos (a esperança de gols) no banco de reservas e perdeu a referência de um matador no setor ofensivo. Além disso, o time foi montado com três volantes.

O goleiro Bruno atuou bem, pegou pênalti e fez duas defesas difíceis. O problema é que a equipe transferiu a responsabilidade de segurar o Inter para o camisa 1 do Tigre. A pressão do colorado fez com que o primeiro gol saísse. Após o gol sofrido veio o fim do primeiro tempo.

Na segunda etapa o técnico Gilmar Dal Pozzo mexeu no esquema tático e descaracterizou a proposta do Criciúma na partida: jogar fechado e buscar o gol em oportunidades isoladas. Ele tirou o volante Serginho para a entrada do meia Paulo Baier. Com isso, o time se perdeu dentro de campo.

O fato de equipe não se encontrar na partida demonstra que o time todo jogou abaixo do esperado. Com a derrota, o Tigre amarga na zona de rebaixamento e terá pela frente um clássico estadual contra a Chapecoense, na Arena Condá, em Chapecó.


Empate é insuficiente para sair do Z-4
21/09/2014 às 00:56 | Erik Borges - erik.borges@canalicara.com
O Tigre bem que tentou. Mas a vitória não chegou na noite de sábado mesmo com a atmosfera de um caldeirão amarelo, preto e branco criada no Majestoso. O Botafogo veio com seis desfalques. Também perdeu em casa na última rodada. Além disso, está com salários atrasados e incluído na zona da degola. Já o Tigre teve a torcida a favor, veio de empate fora de casa em um clássico, tinha Zé Carlos mordido por ter perdido pênalti no jogo anterior e um clima de revanche em relação à derrota por 6x0 para o alvinegro no primeiro turno.

O clima foi tenso dentro e fora de campo, antes e depois do jogo. É que a bola insistiu em não entrar. O fato de o Criciúma tentar, tentar e não conseguir balançar as redes não deve ser atribuído ao azar. É claro que há partidas em que o gol não acontece, mas a razão de isso acontecer é a incompetência da equipe, principalmente o setor ofensivo. Os números comprovam tal falta de qualidade na concretização dos lances de gol. São 12 gols marcados, o pior ataque da competição.

Os gols só aconteceram porque o árbitro Wilton Pereira Sampaio assinalou um pênalti pra cada lado. Resultado final: 1x1. Com isso o Tigre permanece na zona da degola com 23 pontos. Serão dois duelos fora de casa, o primeiro é o Internacional (RS). Depois é clássico catarinense contra a Chapecoense. O que se espera é que a equipe vença no mínimo um dos confrontos e comece a retomada da recuperação na tabela do Campeonato Brasileiro.


Empate com gosto de derrota para o Tigre
17/09/2014 às 23:46 | Erik Borges - erik.borges@canalicara.com
O Criciúma foi à Florianópolis enfrentar o Figueirense no Estádio Orlando Scarpelli e empatou em 1x1. O clássico se deu em um momento crucial para o Tigre na tabela de classificação da Série A. A vitória sobre o Goiás na 22ª rodada deu ânimo para o plantel tricolor, mas a vitória contra o Furacão do Estreito daria uma boa sequência para o time carvoeiro se reestabelecer e sair da zona da degola.

Porém, o que se pôde observar na partida chuvosa da capital desta quarta-feira, dia 17, foi um duelo nervoso, digno de um clássico catarinense. O Figueirense jogava em casa, com o apoio da torcida, razoavelmente bem colocado na tabela e com o técnico Argel Fucks de sangue nos olhos para vencer seu antigo clube, na qual saiu ressentido no final do ano passado.

O Tricolor do Sul precisava somar para sair do grupo dos quatro últimos que caem de divisão ao final da 38ª rodada. Zé Carlos foi o fator decisivo para o resultado ter sido o de igualdade. O camisa 9 teve a oportunidade de cobrar uma penalidade máxima na primeira etapa de jogo, mas Tiago Volpi defendeu. Perder pênalti é normal, mas logo hoje? Logo em um clássico em que a equipe precisava urgentemente da vitória?

Quem amenizou a cobrança desperdiçada pelo centroavante foi Silvinho. O jogador fez um gol em cruzamento rasteiro. O atacante foi um dos melhores em campo, se não o melhor. Mas o técnico Gilmar Dal Pozzo preferiu saca-lo. Com isso o Figueirense cresceu no jogo e marcou com o ex-carvoeiro, Thiago Heleno. Empate com gosto de derrota. Essa é a sensação. O próximo “leão” que o Criciúma terá que enfrentar é o Botafogo, neste sábado, dia 20, às 21h.


*Erik Borges Vieira é jornalista e torcedor do Criciúma Esporte Clube