Canal Içara

Canal Içara

06 de dezembro de 2019 - 01:22
Empate após expulsão mostra personalidade
05/02/2015 às 21:53 | Erik Borges - erik.borges@canalicara.com
O empate do Criciúma com o Avaí em 0x0 marcou o primeiro clássico da temporada encarado pelo time carvoeiro nesta quinta-feira, dia 5. Após uma vitória fácil contra o Guarani de Palhoça, o Tigre foi até Florianópolis sem saber como iria se comportar perante uma equipe considerada grande no estado. Afinal, o adversário compõe a elite do Campeonato Brasileiro.

O goleiro David estreou como profissional e não comprometeu a equipe. Em um estádio no qual é composto pela maioria alviceleste, o elenco tricolor não se intimidou. Jogou de igual pra igual, criou situações de gol e assustou o adversário. Mas quando uma partida é comandada pelo senhor Célio Amorim nunca acaba sem polêmicas.

Logo no início do jogo um lance que gerou muita contestação por parte da torcida e jogadores. Bruno Lopes foi derrubado dentro da área e o árbitro nada marcou. Na segunda etapa os torcedores do Criciúma se assustaram após o time da casa balançar as redes. Porém, desta vez a sorte contou a favor do Tigre e o lance foi anulado.

Vale ressaltar que boa parte do segundo tempo o tricolor estava com um jogador a menos. Barreto foi expulso após receber o segundo cartão amarelo na partida. Mesmo assim os jogadores conseguiram aguentar a pressão do Avaí, que ao final da partida estava com quatro atacantes.

Para piorar a situação, o comandante da partida acrescentou cinco minutos de acréscimo. Fim de jogo, um ponto conquistado. Agora o foco se volta para Chapecó. O Tigre enfrenta a equipe do Oeste na Arena Condá, neste domingo, ás 17h. O verdão de Santa Catarina está com 100% de aproveitamento na competição.


Tigre cumpre dever na primeira rodada
31/01/2015 às 22:47 | Erik Borges - erik.borges@canalicara.com
O Criciúma venceu pelo placar de 3x1 com gols de jogadores que já atuaram na base tricolor. Bruno Lopes, Roger Guedes e Lucca balançaram as redes adversárias, enquanto Joílson marcou contra. A vontade que os atletas do Criciúma tiveram no jogo deste sábado contra o Guarani de Palhoça não se via desde a vitória por 3x0 contra o Santos na 28ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2014.

A primeira rodada do Catarinense de 2015 não proporcionou um adversário que possa servir de parâmetro para avalição aprofundada a respeito do desemprenho tricolor. Mas o duelo correu da forma como se esperava para um jogo oficial inaugural. As equipes não mostraram jogadas ensaiadas, salvo um lance de escanteio favorável ao Criciúma. O popular “balão pra frente” foi muito requisitado durante a partida, mas não dá para esperar muita correria e jogadas trabalhadas em uma primeira rodada.

O time carvoeiro conseguiu controlar o jogo de forma tranquila, criando jogadas ofensivas e trabalhando com consistência defensiva. Os 3.596 torcedores presentes no Heriberto Hülse tiveram a oportunidade de assistir dois golaços. Roger Guedes acertou um belo chute de esquerda na gaveta, sem chances para o goleiro. Lucca fez um gol inteligente. O camisa 11 esperou a barreira pular para mandar a bola por baixo.

Os três pontos vieram, a tarefa de casa foi feita. As duas rodadas seguintes ocorrerão fora de casa. Os adversários compõem a elite do futebol nacional. Na quinta-feira é clássico contra o Avaí. Já no domingo o Tigre viaja ao Oeste catarinense para enfrentar a Chapecoense.


Pratas da casa que valem ouro no Tigre
30/01/2015 às 13:43 | Erik Borges - erik.borges@canalicara.com
Toda a expectativa de sucesso no Campeonato Catarinense gira em torno dos atletas oriundos da base. O triunfo e o fracasso do time passarão necessariamente por esse elenco. Atualmente o time principal conta com 60% de jogadores pratas da casa. Porém, uma “espinha dorsal” permaneceu para dar sustentação aos companheiros menos experientes no mundo da bola. Fábio Ferreira, Eduardo, Luiz e Cleber Santana são os exemplos de remanescentes de 2014 que ficaram com a responsabilidade de lidar com os garotos mais jovens dentro das quatro linhas.

Os rivais que estão inseridos na primeira divisão nacional se reforçaram mais do que o Time Carvoeiro, até porque um elenco frágil para a Série A do Brasileiro corre sérios riscos de rebaixamento. Por isto, Avaí, Chapecoense, Figueirense e Joinville utilizarão o estadual para aperfeiçoar seus jogadores para o restante da temporada, e eles vem com muita força. Resta ao torcedor criciumense torcer para que a nova filosofia trabalhada pelo diretor de futebol, Raimundo Queiroz dê certo.

O ano é de redução salarial, corte de gastos, investimento no que se encontra de mais barato. Logo o clube que até ano passado investia em atletas consagrados no cenário nacional e não se importava em desembolsar altos valores para trazer determinado jogador hoje se encontra em situação oposta. Não foi só no plantel de jogadores que o Criciúma resolveu economizar. O técnico é Luizinho Vieira. O comandante também é oriundo das categorias de base. Seu maior destaque foi ser vice-campeão da Copa do Brasil Sub-20 em 2013.


A responsabilidade dos pratas da casa
19/12/2014 às 13:21 | Erik Borges - erik.borges@canalicara.com
A filosofia do Criciúma na temporada de 2015 será de valorizar os jovens da base. Ao subir 18 jogadores para o time principal ficou explícito que o clube pretende transferir toda a responsabilidade para os pratas da casa na obtenção de bons resultados. Contratações até agora foram seis. Poucos jogadores restaram do elenco de 2014.

A equipe de juniores disputou este mês o campeonato brasileiro Sub-20 ao enfrentar quatro adversários e não marcar nenhum gol. Foram dois empates e duas derrotas. Resultado que deixa o torcedor temeroso referente ao desempenho deles no time principal. E não será apenas os jogadores da base que subirão.

Luizinho Vieira (que atuava de forma interina) foi efetivado no cargo de técnico do Carvoeiro. Não muito tempo atrás, o Tigre tomou essa medida com Sílvio Criciúma (atualmente no Atlético de Ibirama) que era auxiliar técnico e passou a ocupar o cargo de treinador. Após sequência de maus resultados acabou demitido do clube.

É o que provavelmente acontecerá com Luizinho. No Criciúma, na maioria das vezes quando um técnico recebe o comunicado de demissão é em virtude de desaprovação dos torcedores tricolores. Por consequência, o profissional não permanece mais em nenhuma função. Agora tudo fica mais claro por que não colocaram Wilsão de técnico interino. A intenção de efetivar o comandante provavelmente já havia passado pela cabeça da diretoria no momento da escolha de um comandante temporário para a equipe.


Dois gols valem um e um gol vale dois
06/12/2014 às 22:46 | Erik Borges - erik.borges@canalicara.com
A 38ª rodada do Campeonato Brasileiro serviu para que o Criciúma se despedisse da elite do futebol em 2014. O jogo não valia mais nada para o Tigre, apenas a dignidade do elenco Carvoeiro. Já o Corinthians precisava da vitória e ainda torcer por um revés do Internacional. O medo da torcida tricolor era de que o Tigre pudesse ir para a segunda divisão com uma goleada na última rodada. Isso faria com que a vergonha fosse ainda maior.

Mas o que se viu foi um Tigre disposto a ganhar a partida e estragar a festa adversária. O Corinthians contou com a massa a seu favor. Foram mais de 38 mil corintianos empurrando o alvinegro para a conquista dos três pontos. Bola na trave não faltou. Se todas tivessem entrado, o Criciúma poderia ter tomado uma goleada fora de casa.

Para não perder o costume, gol irregular do Corinthians: 1x0. O Criciúma balançou a rede num impedimento mal marcado e o placar se manteve favorável ao time paulista. O Criciúma fez a bola entrar na baliza novamente para empatar 1x1. Mas o Corinthians pressionou para decretar a vitória: 2x1. Ou seja, o Criciúma precisou fazer dois gols legais para valer um. O Corinthians faz um gol legal, dois vão pra conta.

Fim de jogo, fim de campeonato, fim de temporada. Este ano nada deu certo para o Tricolor do Sul Catarinense. Agora a diretoria deve tirar proveito do que sobrou de bom (se é que sobrou algo) e implantar uma nova filosofia de trabalho para a temporada seguinte. Próximo ano é Série B, e os rivais vão tratar de não nos deixar esquecer disso em momento algum.


*Erik Borges Vieira é jornalista e torcedor do Criciúma Esporte Clube