Canal Içara

Canal Içara

05 de agosto de 2020 - 02:26
Um novo olhar sobre a vida após a morte
27/04/2013 às 10:35 | Maristela Benedet - maristela.benedet@canalicara.com
Quem nunca se perguntou se existe vida após a morte? Com certeza a maioria de nós já fez essa reflexão. O funcionário público americano Dannion Brinkley em nenhum momento foi remetido a esse pensamento. Na juventude dos seus 25 anos em 1975, passava os dias sem pensar muito sobre como estava sendo sua estadia na terra e bem menos sobre morte. E foi num desses momentos corriqueiros do cotidiano que, ao ser atingido por um raio que o “matou”, viu que a concepção sobre vida e morte provocaria uma reviravolta significativa na visão do mundo.

Essa visita ao outro lado é relatada nas três experiências vivenciadas “pós-morte” ou Experiência Quase Morte (EQM), no best-seller “Tão Longe de Casa – A vida Após a Morte”. Enquanto médicos tentavam reanimá-lo sem esperança e familiares sofriam com sua partida, Dannion seguia para outra dimensão atraído por uma intensa luz. No cenário de paz e conduzido por seres iluminados, receberia várias lições e sabedoria espiritual. Aprenderia como é possível descobrir o sentido da vida e contribuir para transformar o mundo que habitamos. De volta à vida, Dannion iniciou uma transformação em sua trajetória para cumprir a missão atribuída pelo céu.


Um olhar “Entre dois mundos”
28/03/2013 às 13:42 | Maristela Benedet - maristela.benedet@canalicara.com
Atraída pela acultura do Irã, terra natal do pai, a jornalista americana Roxana Saberi era correspondente internacional no Teerã quando iniciou uma pesquisa profunda sobre o modo de vida daquele país para escrever um livro. Mas prisão inesperada sob acusação de espionagem muda os personagens. E por isso acaba escrevendo sobre a própria história.

A sua vida como prisioneira por mais de três meses é relatada de forma inspiradora no livro “Entre Dois Mundos”. A dor física pela tortura e greve de fome iria marcar este período, mas o sofrimento emocional com as ameaças de jamais ser libertada e na coação para confessar um crime que não cometeu como suposta espiã dos Estados Unidos, abalaria a alma. Nos longos dias de silêncio no interior da cela sem acesso ao mundo lá fora, a jovem procura entender o sentido da prisão e arquivar lembranças dos acontecimentos de cada dia.

Em meio a esse drama, faz o elo entre a forte relação da religião islâmica com o poder político. Nos poucos momentos de vivência e conversas com companheiras de cárcere, toca nas suas emoções rompendo resistências buscando compreender o motivo das prisões e as lutas pelos seus direitos dentro de uma cultura carregada de nuances. Uma história extraordinária que impressiona pelos detalhes e pela força da autora na emoção em suas palavras.


Criança Linda, uma menina no silêncio
10/03/2013 às 19:31 | Maristela Benedet - maristela.benedet@canalicara.com
A pequena Vênus está presa em seu silêncio. Sentada no muro da escola olha, mas não vê o mundo ao redor. “Criança Linda” é uma leitura envolvente onde conta a história de uma menina de 7 anos que não se comunica, apresenta perfil agressivo e estuda em uma classe especial. O enredo relata a vivência do professor com essa realidade diferente e, os desafios para inserir a aluna nas atividades em e no relacionamento com as demais crianças, buscando romper o silêncio da personagem.

Aborda ainda o papel do educador na aproximação com Vênus e sua família e destaca a luta da professora para descobrir as causas do silêncio a partir do estabelecimento da relação de confiança com as pessoas próximas da garota. É uma obra de ficção, mas com experiência e relatos que acontecem todos os dias em diversas escolas. Uma excelente oportunidade para provocar a reflexão de professores e quem sabe como ferramenta na compreensão dos educados.

Com uma linguagem simples sem deixar de ser profunda, prende o leitor até a ultima das 137 páginas e, aos mais sensíveis pode emocionar. A obra é de Torey Rayden editada pela WilliamMorrow. A autora nasceu em 1951 nos Estados Unidos. É psicóloga e professora com intensa experiência na educação especial. Entre seus livros publicados estão: A criança que não queria falar, A menina que não chorava Filhos do afeto e a Prisão do Silêncio.


A última música, de Nicholas Sparks
29/10/2010 às 06:35 | Maristela Benedet - maristela.benedet@canalicara.com
O amor pode superar a dor? Em “A Última Música”, o consagrado escritor, Nicholas Sparks consegue mostrar que o poder da ação do amor pode transformar de forma surpreendente o ser humano. A obra foi lançada esse ano e em menos de seis meses vendeu cerca de 3,4 milhões de unidades nos Estados Unidos e já virou filme. O romance mostra a relação conflituosa entre o pai e sua filha adolescente, Ronnie. Sua única afinidade é a sensibilidade para a música nas teclas de um piano.

Nas férias de verão, além de Ronnie vivenciar os encontros e desencontros do seu primeiro amor, um drama inesperado atinge seu pai alterando a vida de toda família. Neste momento, o amadurecimento diante das tragédias e a capacidade do perdão vêm à tona provocando mudanças e unindo corações. Uma história linda e sensível sobre as relações familiares capaz de nos levar a muitas reflexões. Uma obra indicada para pais e filhos.


INDICAÇÃO: “A Última Música”, de Nicholas Sparks, com 408 páginas (Editora Novo Conceito)
ONDE COMPRAR? Fátima Bookstore, em Criciúma, por R$ 39 (48 3433-7745)


O amor que acende a lua, de Rubem Alves
17/09/2010 às 10:09 | Maristela Benedet - maristela.benedet@canalicara.com
“O amor que acende a lua”, um dos melhores livros de crônicas e contos de Rubem Alves. O escritor, filósofo e psicanalista é um dos raros na literatura que desperta a alma enquanto se viaja na poesia e filosofia das histórias sem compromisso com a razão. Na obra, relata os contos dentro das quatro fases da lua: lua nova, lua crescente, lua cheia e lua minguante.

As narrações nascem do olhar profundo e simples sobre o cotidiano ou da sugestão de leitores que pedem para ele escrever em defesa das flores, por exemplo. Das flores reflete que as várias espécies amarradas nas coroas dos velórios são torturadas e dignas de pena. A pipoca é outro tema. Faz uma metáfora interessante com o alimento somente vista pelo olhar de um poeta. Lembra que o milho somos nós: duros, quebra-dentes, impróprios para comer e pelo poder do fogo pode nos transformar em outra coisa – voltar a ser criança!

Assim como o milho que após o “pum” se transforma em algo que nem havia sonhado: A lagarta surge do casulo como borboleta voante. Rubem Alves provoca, surpreende, assusta, acalma e acaricia. Uma leitura para degustar devagar, sentindo cada sabor das palavras, como ele mesmo diria. Para devaniar na fantasia e construir o mundo belo, mágico, irreal onde alegria se faz morada eterna no nosso ser. Com mais de 50 livros publicados para adultos, crianças e educação, vale a pena se deliciar com a juventude e a peraltice do autor nos seus quase 80 anos.


*Maristela Benedet é colaboradora do Canal Içara, tem formação em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo desde 1996, atua na área e nas horas de lazer dedica-se a leitura