Canal Içara

Canal Içara

05 de julho de 2020 - 03:38
Dica de Leitura: Pimentas, crônicas de Rubem Alves
29/03/2020 às 10:51 | Maristela Benedet
Para provocar um incêndio não precisa de fogo. Em mais uma obra provocante,Pimentas, Rubem Alves deixa um legado com 74 crônicas escritas com a sensibilidade única do eterno psicanalista e escritor. Em um dos artigos, fala da magia sedutora presente na arte de cozinhar. Em um outro, questiona onde esta a nossa esperança nos levando a pensar se ela estaria no sonho de cada indivíduo. Uma livro cheio de vida para viajarmos em suas palavras nestes dias de turbulência.

Dica de Leitura: A grande solidão, de Kristian Hannah
12/03/2020 às 08:58 | Maristela Benedet
O corpo pode sobreviver a uma guerra, mas não a alma de um homem. Em mais um forte drama e romance de Kristian Hannah, A grande solidão, a adolescente Leni de 13 anos vivencia os conflitos naturais da idade com um pai atormentado pelos pesadelos de uma guerra. Ernt Allbring esteve no Vietnã é já não é mais o mesmo.

Seu comportamento é violento e seus sentimentos são confusos com a esposa Cora e a filha Leni. Uma terra herdada no Alasca é o lugar escolhido pelo homem para encontrar a sua cura. Movida pela Esperança, Cora acolhe a vontade do marido e a família segue para a solidão do Alasca. O isolamento e os poucos recursos para a sobrevivência serão mais um desafio junto aos permanentes tormentos de Ernt.

“O Alasca não é sobre quem vocês eram quando tomaram este rumo. É sobre quem você se torna”. Uma obra carregada de sonhos, dores e arrependimentos onde o amor pode ser um sentimento destrutivo quando não ouvimos a razão.


Com um olhar amoroso sobre a sensibilidade e determinação das mulheres em suas diversas faces, o padre e escritor Fabio de Mello nos presenteia com o livro Mulheres de Aço e de Flores marcando o 8 de março, Dia Internacional da Mulher. São 20 crônicas inspiradas no pulsar do coração da mulher sem ser uma obra religiosa.

As histórias do cotidiano, em muitos trechos parecem terem sido escritas para você e eu. Em outros, vamos encontrar jovens e senhoras como nossas amigas ou nossas mães.Em linguagem simples, relata os sofrimentos da moça romântica pelo amor não correspondido ou pela tragédia da morte do amado; fala sobre as donas de casa e costureiras solitárias, castas e com desejos proibidos.

São mulheres que choram, se calam e seguem suas trajetórias cumprindo a sua escolha ou seu destino. E, mesmo tão diferentes, um elo em comum as une: a fé e a esperança. Elas saboreiam os instantes da vida com tranquilidade, onde o tempo é o companheiro mais fiel e não é julgador. Nas flores e no aço, as personagens do escritor carregam o sagrado e o profano em sua essência, com a coragem de se manterem guerreiras e femininas.


Dica de Leitura: A Pulseira de Memórias, de Viola Shipman
27/02/2020 às 09:13 | Maristela Benedet
Nas memórias registradas nos pingentes de uma pulseira, a história emociona ao relatar os laços familiares de três gerações de mulheres. O livro A Pulseira de Memórias, de Viola Shipman, valoriza o aprendizado e o respeito à sabedoria de vida dos idosos ou dos nossos avós.

Em frente ao lago Lost Land em Michigan, nos Estados Unidos, Lolly Lindsay ganha da sua mãe, no aniversário de 10 anos, um novo pingente para a sua pulseira com a metade de um coração. A outra parte balança no bracelete da mãe. “Eu sempre estarei com você Lolly. Principalmente quando estiver usando a sua pulseira. Estaremos sempre conectadas pelo amor.”

Um ano depois a mãe da menina perderia a batalha contra o câncer. Passado 60 anos, viúva e sozinha, Lolly se enche de lembranças do último aniversário com a mãe, da sua única filha Arden e da neta Lauren. Há alguns anos ela não encontra as duas. Alguns episódios da adolescência afastaram a filha da sua cidade natal.

Ainda assim, Lolly mantem viva a tradição das pulseiras e dos pingentes presenteadas para a Arden e Lauren todo ano. Após o aniversário da viúva, Arden recebe uma ligação avisando que sua mãe está doente. O incentivo de Lauren para visitar a avó as levam de volta a infância no lago. Esta pode ser a oportunidade para Arden confrontar velhas feridas com o seu passado e seus moradores onde quem sabe, o perdão e o amor de uma família podem ajudar a curar.

A Pulseira de Memórias é uma obra de literatura estrangeira americana e foi publicada no Brasil somente pelo Clube de Livros da Revista Seleções em 2019.


Com gosto estranho na boca meu corpo voava e eu imaginava se isso seria a guerra. Procurei meu corpo e minhas mãos encontraram sangue. Em choque, neste instante eu senti o gosto da guerra. No diário de bordo sobre a guerra do Vietnã, O Gosto da Guerra, o jornalista José Hamilton Ribeiro, sem prever, se tornaria o principal personagem da sua reportagem.

No front de batalha, como correspondente para a Revista Realidade de São Paulo, o repórter vencedor de sete prêmios internacionais, estava ao lado dos soldados vietnamitas entre os meses de fevereiro e março de 1969. Sua apuração dos fatos foi interrompida no dia 20 de março. Em um local de extremo risco, ele foi ferido ao pisar em uma mina terrestre perdendo parte da sua perna esquerda.

O acidente e a proximidade da morte se destacariam na capa da revista pelas lentes do fotógrafo Shimamoto. Zé Hamilton contou a história da guerra, ou sua história, nos mais de três meses de tratamento nos hospitais do Vietnã e Japão. Suas memórias registraram o depoimento das vítimas internadas e, as imagens fortes e dramáticas das atrocidades e destruição de milhões de vidas provocadas por uma guerra.

Aos 85 anos, com passagens pelos principais jornais do país como Folha de São Paulo e a extinta Quadro Rodas e vários programas na Rede Globo, José Hamilton Ribeiro continua na ativa como repórter do programa Globo Rural.


*Maristela Benedet é colaboradora do Canal Içara, tem formação em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo desde 1996, atua na área e nas horas de lazer dedica-se a leitura