Canal Içara

Canal Içara

12 de julho de 2020 - 20:14
Com gosto estranho na boca meu corpo voava e eu imaginava se isso seria a guerra. Procurei meu corpo e minhas mãos encontraram sangue. Em choque, neste instante eu senti o gosto da guerra. No diário de bordo sobre a guerra do Vietnã, O Gosto da Guerra, o jornalista José Hamilton Ribeiro, sem prever, se tornaria o principal personagem da sua reportagem.

No front de batalha, como correspondente para a Revista Realidade de São Paulo, o repórter vencedor de sete prêmios internacionais, estava ao lado dos soldados vietnamitas entre os meses de fevereiro e março de 1969. Sua apuração dos fatos foi interrompida no dia 20 de março. Em um local de extremo risco, ele foi ferido ao pisar em uma mina terrestre perdendo parte da sua perna esquerda.

O acidente e a proximidade da morte se destacariam na capa da revista pelas lentes do fotógrafo Shimamoto. Zé Hamilton contou a história da guerra, ou sua história, nos mais de três meses de tratamento nos hospitais do Vietnã e Japão. Suas memórias registraram o depoimento das vítimas internadas e, as imagens fortes e dramáticas das atrocidades e destruição de milhões de vidas provocadas por uma guerra.

Aos 85 anos, com passagens pelos principais jornais do país como Folha de São Paulo e a extinta Quadro Rodas e vários programas na Rede Globo, José Hamilton Ribeiro continua na ativa como repórter do programa Globo Rural.


Você já agradeceu hoje? O merecimento de uma vida plena e feliz a partir da mudança da nossa vibração com a gratidão diária é a proposta do livro A Gratidão transforma, da psicóloga e conferencista internacional Márcia Luz. A obra é a primeira de uma série de cinco livros sobre o tema. Dividido em capítulos, a sua leitura tem o efeito emocional de elevar a auto-estima e incitar o perdão e amor em nossa essência humana.

Nós fizemos as nossas escolhas e atraímos nossos desejos, sejam positivas ou negativas, além do misticismo e da fé. Esta energia e sintonia são puramente ciência, fundamentada pelos estudos das ondas energéticas. Tudo passa em nossa mente e por isso somos os criadores da nossa realidade. Para a autora, canalizar a nossa vibração e crença para os nossos projetos, agradecendo as suas conquistas, ainda que somente no pensamento, cria o campo de energia favorável para a transformação em realidade.

No capitulo final, o livro desafia o nosso ceticismo para mudarmos o nosso pensamento e atrairmos os nossos sonhos com técnicas da Jornada da Gratidão em 33 dias.


O livro O mestre dos Quebra Cabeças é uma história sobre os fortes laços familiares e o sofrimento de Betsy Carter. Com sensibilidade e crítica social, narra a partida da Lituania do menino de nove anos, Simon Phelps, para São Francisco, nos Estados Unidos. O enredo é situado na década de 1930, quando o nazismo de Hitler começa a dominar a Europa. Chorando, ele vai tentar a sorte em uma terra estranha. O avental da mãe é único o alento para suprir a tristeza e a saudade da separação.

A promessa de conseguir um trabalho e retornar para buscar a família ameniza o medo e a fome. Aos poucos, ele percebe no seu talento para a arte da criação, a forma de expressar suas emoções no novo país. Os trabalhos como desenhista revelam o talento do jovem. No entanto, a distância das suas origens mantém Simon em um mundo reservado e sem amigos. O tempo passa e Simon se destaca como um empresário bem sucedido na produção de Quebra-Cabeças em Nova York. A fuga em comum do nazismo o aproxima da moça Flora Grossman. Casados, fortalecem os laços do amor na busca pelas suas famílias. Para o rico judeu, somente desta forma a sua felicidade estará completa.


Após mais de 2 mil anos, as ideias de Jesus Cristo, o homem corajoso dotado de uma inteligência fascinante, ainda são um mistério para a humanidade. Cristo mostrava lucidez e uma tranquilidade emocional nos discursos agregando multidões e seguidores por onde passava, mesmo tendo nascido em uma região de extrema miséria e sem acesso aos livros.

Como então era possível possuir tamanha sabedoria? A complexidade da vida e da mensagem de Jesus Cristo, fora do contexto das religiões, é a proposta da obra O Mestre dos Mestres do psicólogo Augusto Cury. Sem seguir correntes filosóficas, Jesus, em sua intelectualidade, era o mestre na escola da vida saciando a fome de sabedoria desde letrados a analfabetos.

O Mestre dos Mestre é o primeiro livro da série de cinco obras Analise da inteligência de Cristo. Jesus respeitava a todos como seres humanos e não com conceitos de classes ou julgamento moral e racial. Nas suas vivencias e sensibilidade, deixava claro o seu desejo de provocar as existências e seu maior exemplo foi a crença na justiça e no amor entre os seres humanos.

AUTOR – Augusto Cury é psicanalista, psiquiatra e professor brasileiro conhecido mundialmente. Seus livros foram publicados em mais de 70 países, com mais de 25 milhões de livros vendidos somente no Brasil. Até poucos anos ele se considerava o “maior ateu da terra”. E foi nas pesquisas sobre a história de Jesus Cristo e os grandes pensadores que se tornou cristão.

Publicação: 2001
Gênero: Literatura cristã
Editora: Sextante


Bom dia, Sr. Mandela, de Zelda la Grange
12/09/2019 às 11:00 | Maristela Benedet
“Bom dia Zelda. Bom dia...Sr. Mandela, desculpe, Presidente”. Assim foi o primeiro encontro na sala da presidência entre a jovem secretária branca Zelda la Grange, com o primeiro presidente negro do pais, Nelson Mandela, em 1994. A menina Zelda cresceu do lado branco da África e foi educada a acreditar na superioridade da cor e no separatismo entre as raças. Como a sua família e seu grupo social, era favorável ao Apartheid. Por vontade, talvez do destino, aos 19 anos conseguiu emprego como datilógrafa no serviço público no gabinete da presidência.

Aos poucos, a proximidade com Madiva, nome africano usado pelos apoiadores de Nelson Mandela, vai lhe dando a oportunidade para dissipar os seus preconceitos. Pelo olhar do presidente, Zelda aprende a ver as pessoas com amor e igualdade; passa a admirar a forma pacificadora, pautada pelo diálogo e respeito, no tratamento aos “inimigos”, pelo presidente africano. A biografia, Bom dia, Sr, Mandela, de Zelda la Grange, narra a trajetória de mais de 20 anos da então secretária e amiga ao lado de um dos maiores líderes humanitários contra o Apartheid. O leitor irá conhecer um pouco do cotidiano de Nelson Mandela e da sua influência como pacificador para o mundo.


*Maristela Benedet é colaboradora do Canal Içara, tem formação em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo desde 1996, atua na área e nas horas de lazer dedica-se a leitura