Canal Içara

 
17 de agosto de 2022 - 10:38
#Cotidiano #Economia #Política #Segurança #Esportes +Leitor-repórter +Guia Içara
Economia » Indicadores de Içara Indicadores de Içara
Arrecadação de Içara aumenta 36,83% no primeiro semestre
Total bruto arrecadado ultrapassou R$ 167,2 milhões, diante de R$ 122,2 milhões somados entre janeiro e junho de 2021
05/07/2022 às 12:08 | Andreia Limas - andreia.limas@canalicara.com
Lucas Lemos [Canal Içara]
A evolução da arrecadação em Içara segue em ritmo acelerado, registrando 36,83% de aumento no primeiro semestre deste ano. O total bruto arrecadado pelo município entre janeiro e junho foi de R$ 167.243.686,70, diante de R$ 122.228.488,62 somados no mesmo período de 2021. A alta chega a 60,55% no comparativo com o primeiro semestre de 2020, quando foram arrecadados R$ 104.166.246,44.

Os dados são do Portal da Transparência e mostram também que, entre as principais fontes de arrecadação, o Imposto Sobre Serviços teve a maior variação percentual, de 35,13%, indo de R$ 7.323.780,07 no primeiro semestre de 2021 para R$ 9.896.469,82 neste ano. Com o Imposto Predial e Territorial Urbano, o valor arrecadado – R$ 8.887.916,46 – foi 16,96% maior no mesmo comparativo.

Entre as transferências realizadas pelo Estado, o retorno do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços registrou alta de 28,60% no período, passando de R$ 21.672.436,93 no primeiro semestre de 2021 para R$ 27.870.695,62 no acumulado entre janeiro e junho de 2022.

Já a alta nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios ficou em 26,77%, com as cotas somando R$ 22.253.613,85, frente aos R$ 17.554.943,98 referentes ao primeiro semestre do ano passado. Essa transferência é realizada pela União, tendo como base de cálculo a arrecadação do Imposto de Renda e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), além de considerar a população residente no município.

Composição das receitas

Compõem a arrecadação municipal as receitas correntes, as de capital e as correntes intraorçamentárias. No caso de Içara, as receitas correntes somaram R$ 144.020.233,90 em valores brutos no primeiro semestre, dos quais, R$ 30.565.359,91 em impostos municipais, taxas e contribuições de melhoria; R$ 93.371.714,78 em transferências do Estado e da União e R$ 20.083.159,21 em outras receitas.

Entre as receitas próprias, os impostos representaram R$ 26.019.411,74, as taxas corresponderam a R$ 4.405.901,51 e as contribuições de melhoria acrescentaram R$ 140.046,66 no total.

As transferências realizadas pelo Estado somaram R$ 36.681.893,93 e da União foram transferidos mais R$ 31.660.252,18. Além disso, R$ 24.998.275,17 vieram do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e R$ 31.293,50 de outras transferências.

As receitas ainda sofrem deduções, que no primeiro semestre chegaram a R$ 13.020.632,88, resultando em arrecadação líquida de R$ 154.223.053,82, contra R$ 113.136.821,07 arrecadados no mesmo período do ano passado.

Participe também com seus comentários

 COBERTURAS ESPECIAIS
últimas notícias

Conheça as marcas que potencializam o crescimento da cidade
Coberturas especiais