Canal Içara

 
20 de maio de 2022 - 14:15
#Cotidiano #Economia #Política #Segurança #Esportes +Leitor-repórter +Guia Içara
Cotidiano » Coronavírus Covid-19
Estado aguarda definição do Ministério da Saúde para uso da Coronavac em crianças
Aplicação do imunizante na faixa etária entre seis e 17 anos foi aprovada pela Anvisa nesta quinta-feira
21/01/2022 às 10:14 | Andreia Limas - andreia.limas@canalicara.com
Por meio de nota, a Secretaria de Saúde de Santa Catarina (SES/SC) manifestou-se a favor da inclusão da Coronavac no Programa Nacional de Imunizações (PNI), de forma a ampliar a oferta de doses contra a covid para pessoas entre seis e 17 anos de idade. No entanto, o Estado ainda aguarda o posicionamento do Ministério da Saúde para iniciar a utilização em crianças e adolescentes.

Em reunião realizada nessa quinta-feira, dia 20, a Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, por unanimidade, o uso pediátrico da Coronavac. Até então, o único imunizante autorizado para essa faixa etária no país era o fornecido pela Pfizer.

Segundo a Anvisa, a autorização de uso emergencial para a inclusão de nova faixa etária em bula da Coronavac foi concedida especificamente para crianças e adolescentes não imunocomprometidos, baseada em estudos realizados em diversos países, como China e Chile, e apresentados pelo Instituto Butantan no processo.

A dose aprovada do imunizante, produzido a partir de vírus inativado, é a mesma usada para adultos, com um intervalo de 28 dias entre a primeira e a segunda aplicação. No caso da Pfizer, a vacina pediátrica é diferente da utilizada nos demais públicos.

Reações adversas

A agência ressalta que, no Brasil, até o momento a análise de causalidade acerca de reações adversas demonstra que a Coronavac não está relacionada a nenhum óbito dentre os públicos para os quais estava disponível até então e os eventos adversos graves são considerados raros ou raríssimos. Já no cenário internacional, nos países em que a vacina já vem sendo aplicada em pessoas de dois a 17 anos de idade, os dados demonstram que 86% dos eventos adversos registrados nessa faixa etária são do tipo não graves.
Participe também com seus comentários

 COBERTURAS ESPECIAIS
últimas notícias

Conheça as marcas que potencializam o crescimento da cidade