Canal Içara

Canal Içara

27 de maio de 2019 - 23:05
Cotidiano »
Derlei é chamada para próxima novela do SBT
14/03/2011 às 14:19 | Lucas Lemos - lucas.lemos@canalicara.com
A primeira trama brasileira ambientada totalmente na época da ditadura militar será realizada pelo SBT. E, terá no meio do folhetim, Derlei Catarina De Luca. A içarense foi convidada pela emissora de Silvio Santos a gravar um depoimento sobre o período que viveu de 1969 e 1970. Nos estúdios em Anhanguera, em São Paulo, deixou mais de uma hora de vídeo sobre a trajetória de luta aos 20 anos de idade. Desde então, tem também servido de consultora para o escritor Tiago Santiago.

"Contei a eles alguns dos detalhes sobre a prisão e deixei uma cópia do meu livro devidamente autorizada para o uso na novela", destaca em referência a publicação "No corpo e na alma". O material em vídeo com retalhos da própria história deverão ser utilizados no final de um dos capítulos da novela Amor e Revolução. O mesmo acontecerá com sobreviventes que estiveram envolvidos na resistência ao Governo.

Com previsão para iniciar em abril, o folhetim será protagonizado por Graziela Schmitt e Claudio Lins, respectivamente, Maria Paixão e José Guerra. Conforme já divulgado pela emissora, no primeiro episódio o par romântico já será perseguido durante uma reunião da União Nacional dos Estudantes (UNE). Ainda integram o elenco os atores Lúcia Veríssimo, Patrícia de Sabrit, Luciana Vendramini e Licurgo Spínola. Numa releitura dos anos de chumbo, os atores foram treinados para o manejo de armas por Sérgio Farjalla Jr., o mesmo preparador filme Tropa de Elite.

Com relação a passagem pelo complexo do SBT, Derlei conta que teve tratamento de artista. Ao ser conduzida do aeroporto até o set de filmagens, foi inclusive cumprimentada e confundida com celebridades televisivas. De fora dos holofotes dos canais de TV, a içarense não é conhecida popularmente. Mas, figura em âmbito nacional e, por isso, recebeu o convite. Atualmente participa do grupo nacional que busca desaparecidos da ditadura. Além disso, está entre as 20 pessoas com o qual o Governo Federal debate sobre o próprio passado.
+ Cotidiano
Participe também com seus comentários

últimas notícias
notícias mais lidas