Canal Içara

Canal Içara

16 de agosto de 2018 - 01:44
Cotidiano » H1N1
Epidemia de Gripe A poderá chegar com o frio
13/06/2009 às 18:03 | Agência Brasil - www.agenciabrasil.gov.br
O frio desta época do ano tem sido decisivo para o alastramento do vírus Influenza A [H1N1], responsável pela gripe suína, nos países vizinhos do Brasil, principalmente no Chile, na Argentina e no Uruguai. De acordo com infectologistas, em baixas temperaturas as pessoas tendem a ficar em lugares fechados, o que facilita o contágio.

Acesse:
» Conferir o Especial sobre o vírus H1N1

“Este vírus sobrevive mais tempo em lugares mais frios", afirma o médico infectologista chileno Miguel O'Ryan, professor da Universidade do Chile, um dos especialistas ouvidos pela BBC Brasil. No Chile, que tem 15 milhões de habitantes, já foram registrados 1,6 mil casos, a maior incidência da América do Sul. “O problema desta época do ano é que surge um coquetel de vírus de doenças respiratórias, mas, agora, somou-se a ele o vírus da gripe suína", afirma o médico infectologista Hugo Paganini, do hospital Garrahan, de Buenos Aires.

Na Argentina, com 40 milhões de habitantes, também foram confirmados 470 casos, sendo que 127 apenas na sexta-feira, dia 12. O Uruguai, país de pouco mais de 3 milhões de moradores, tem 24 pessoas infectadas. O Brasil, com população muito maior que todos os países citados até então – com cerca de 190 milhões de habitantes - tem até o momento 54 casos.

Para o médico infectologista Hugo Paganini, do hospital Garrahan, de Buenos Aires, o clima influencia na propagação das doenças respiratórias. “O problema desta época do ano é que surge um coquetel de vírus de doenças respiratórias, mas, agora, somou-se a ele o vírus da gripe suína", afirmou.


GRIPE ESPANHOLA EXPLICA O MOTIVO DO MEDO

A gripe espanhola, considerada a maior pandemia de todos os tempos, e que matou milhões de pessoas nos anos de 1918 e 1919, também teve sua fase mais grave durante o frio, entre o outono e inverno do Hemisfério Norte. A influenza A [H1N1] – gripe suína - tem apresentado uma letalidade bem menor. Na América do Sul, foram registradas três mortes relacionadas à doença, duas no Chile e uma na Colômbia.
Participe também com seus comentários

últimas notícias
notícias mais lidas