Canal Içara

Canal Içara

22 de setembro de 2019 - 13:19
Cotidiano »
Ampliação de faixa etária é comemorada
14/11/2013 às 09:34 | Especial do Jornal Gazeta
Doar sangue é um procedimento que para quem doa significa apenas alguns minutos, mas para quem recebe significa uma vida inteira. Prevendo ampliar em cerca de 2 milhões de pessoas, o número de potenciais doadores no país, o Ministério da Saúde anunciou na última terça-feira, uma portaria assinada pelo ministro Alexandre Padilha, aumentando o limite de idade máxima para a doação. Agora, a faixa etária vai de 16 a 69 anos. Em 2012, a idade de doação já teve alteração quando o Ministério da Saúde havia trocado a idade mínima, dos 18 para os 16 anos.

A novidade foi comemorada no Hemocentro de Criciúma. “Ainda estamos aguardando a oficialização porque há o prazo de 90 dias para que seja colocado em prática, mas esse aumento da idade máxima para doadores é um motivo que não só nós do Hemosc de Criciúma, mas também de outros hemocentros, estamos comemorando, pois com certeza vai aumentar o número de doadores”, aposta a assistente social do Centro de Hematologia e Hemoterapia de Santa Catarina (Hemosc) de Criciúma, Simone Fourland Nandi.

Na região carbonífera há apenas o Hemosc de Criciúma, localizado na Avenida Centenário, no bairro Santa Bárbara. Igualmente ao que acontece em outros hemocentros, conforme a assistente social, em Criciúma também é baixo o número de doações. “Hoje temos em média 50 doações no Hemosc de Criciúma, o que é bem abaixo para atender as 28 clínicas conveniadas, já que o ideal é termos 80 doações por dia. Sangue não falta porque há o suporte de outros hemocentros, mas precisando de sangue de outros hemocentros pode acontecer de prejudicar o andamento de algum procedimento cirúrgico. O número de doações já é baixo, mas o mais agravante fica nos tipos O negativo e B negativo”, comentou.

Em Criciúma, o Hemosc atende de segunda a sexta-feira, das 7h30min às 18h30min, e todo o primeiro sábado de cada mês, das 8h às 12h. Para efetuar a doação, o interessado tem que comparecer ao hemocentro portando um documento com foto original, além de estar bem de saúde, alimentado, pesar mais que 50 quilos e ter entre 18 e 60 anos. Para as pessoas que tenham entre 60 e 69 anos, o doador deve ter feito pelo menos uma doação anteriormente. Dos 16 aos 17 anos, é obrigatória a presença de um responsável.

O processo de doação tem duração média de 40 minutos. O doador faz o cadastro, passa por uma entrevista e se estiver apto é encaminhado para coleta. Em contrapartida, pessoas que realizaram cirurgia recentemente, que esteve em jejum prolongado ou ingeriu alimentos gordurosos nas últimas quatro horas, que tomou bebida alcoólica há menos de 12 horas, que fez endoscopia nos últimos seis meses, fez tatuagem ou colocou piercing nos últimos seis meses, teve gripe ou febre nos últimos sete dias, teve hepatite viral após os 11 anos, está grávida ou amamentando e não ter dormido pelo menos seis horas na noite anterior a doação, não podem doar sangue.

Desde março deste ano, o Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf) de Içara está realizando um projeto que visa buscar doadores de sangue, principalmente aqueles que têm interesse em ir ao Hemosc, mas não tem como se deslocar. A campanha é realizada por meio das agentes comunitárias que vão até as residências durante as visitas mensais. Os interessados vão até Criciúma, por meio de um veículo disponibilizado pela Secretaria de Saúde de Içara a cada 15 dias.

No total são três etapas: divulgação da campanha feita pela equipe do Nasf e Agentes Comunitários de Saúde, cadastramento dos interessados e o encaminhamento ao Hemosc para efetivar a doação de sangue. Ao todo já participaram sete bairros Vila Nova, Jardim Elizabete, Nossa Senhora de Fátima, Raichaski, Jaqueline, Liri e Boa Vista com aproximadamente 100 doadores. A campanha foi reconhecida em nível estadual onde recebeu premiação no início deste mês durante o VI Encontro Estadual de Saúde da Família

Conforme a farmacêutica do Nasf, Mara Rubia Mendes, o projeto foi suspenso temporariamente no período do inverno, segundo ela pelo fato das pessoas tomarem menos líquido. “E isso influencia na doação de sangue. Mas continuamos fazendo a listagem de interessadas”, informou. No próximo dia 29, um grupo do bairro Presidente Vargas será encaminhado para o Hemosc. Interessados em participar podem comentar sobre o assunto com o agente de saúde ou então passar na unidade de saúde do bairro para comunicar o desejo. Além disso, há a possibilidade de entrar em contato com a Secretaria Municipal de Saúde através do telefone (48) 3461-3700.

Já sobre a alteração da idade máxima para a doação, Mara também comemorou. “Existem muitas pessoas com mais de 60 anos que tem dúvidas e ficam com receio. Agora com essa mudança, já haverá toda uma campanha em volta desse assunto. Além disso, com a ampliação da idade, haverá muitas pessoas que já pararam de doar, que vão voltar”, comentou.

+ Cotidiano
Participe também com seus comentários

últimas notícias
notícias mais lidas