Canal Içara

Canal Içara

13 de dezembro de 2019 - 12:10
Cotidiano »
Debaixo de chuva e de sol
16/01/2014 às 16:47 | Especial do Jornal Gazeta
Diariamente, centenas de pessoas vão às paradas de ônibus esperar pelo transporte coletivo para chegar ao local de trabalho, na escola, em casa, na faculdade ou em qualquer outro lugar. Mas, por inúmeras vezes, o local não é apropriado. Os abrigos não dão as condições necessárias para que a pessoa possa esperar o transporte, que para muitos é o único meio de locomoção.

Quando o tempo é bom, o sol se torna prejudicial. Já quando é registrado um mau tempo é a chuva que atrapalha a espera. Este é o transtorno que presenciam as pessoas que necessitam do transporte coletivo em Içara. Não há bairro que não tenha esse problema registrado, seja ele Centro, Vila Nova, Presidente Vargas, Aurora ou em outras comunidades.

Quem sofre com este problema é o estudante Álvaro de Souza. “É lamentável que tenhamos que conviver com esta situação. E se fosse apenas um lugar tudo bem, mas são em vários. Quando tem sol, você é obrigado a ficar exposto porque não há lugar para se esconder. Em dias de chuva, você é obrigado a usar o guarda-chuva, mas mesmo assim se molhar todo, porque também não existe local apropriado. E o pior é que muitas vezes se você perde o ônibus, e acaba tendo que esperar outro, que demora em média 30 minutos, não tem lugar para ficar sentado, tem que ficar em pé”, lamentou ele que utiliza o transporte público diariamente.

Casos como o do estudante, são relatados constantemente por moradores da cidade. E, há muito tempo, são também apresentadas soluções para o problema que perdura por anos. Agora, conforme o secretário de Planejamento e Controle de Içara, Israel Rabelo, a expectativa é de que o Estado abra um processo de licitação para que o Município possa tentar conquistar novos abrigos.

“Com o fim do ano não foi possível o cadastramento, então agora estamos aguardando que o Estado abra um novo processo licitatório para que possamos cadastrar a busca por novos abrigos de ônibus. Pelo que foi conversado, a intenção inicial é de que venham 30 abrigos, mas dependendo das tratativas podem vir ainda mais”, comentou o chefe da pasta.

As novas paradas serão distribuídas em diferentes bairros. Contudo, ainda não é possível precisar quais comunidades irão receber os abrigos e com quantos cada uma será contemplada. “Os primeiros a receberem serão aqueles locais que não tem abrigos. Depois, então, serão disponibilizados os locais em que os abrigos de ônibus existentes se encontram de forma deteriorada”, declarou Rabelo.

No fim do último ano, uma reunião foi realizada com representantes de Departamento de Transporte e Terminais (Deter) para tratar da situação dos abrigos. “Naquela oportunidade expomos a nossa necessidade e lançamos o pedido para que todos os abrigos de ônibus fossem repaginados. Sabemos que este é um processo moroso, mas queremos que aconteça o mais rápido possível, para o bem da população”, colocou o vereador André Mazzuchello Jucoski, o Polakinho, que esteve presente na audiência.

De acordo com o presidente do Deter de Santa Catarina, Neri Garcia, ajuda para a aquisição de novos abrigos deve ser oficializada no primeiro semestre deste ano. “Em 2013 tivemos que realizar uma reforma geral num terminal em Florianópolis, que é o único de total responsabilidade do Deter, e nisso foram investidos em torno de R$ 7 milhões. Então acabaram os recursos e não pudemos auxiliar algumas cidades para a aquisição de novos abrigos, o que sempre procuramos fazer. Mas isto já estamos vendo para o primeiro semestre deste ano, para que possamos disponibilizar estar ajuda”, informou.

Para o diretor no Núcleo de Trânsito e Circulação (NTC) de Içara, Joacir Domingos Pereira, a melhoria nos abrigos de ônibus faz com que as pessoas sejam estimuladas a utilizarem o transporte coletivo. “Nós estamos trabalhando para que os abrigos sejam colocados em lugares que não há e que seja melhorado nos lugares que já tem, porque assim atrai as pessoas a andarem mais de ônibus. E hoje andar de ônibus é uma forma de desafogar o trânsito, já que reduz o número de carros que há nas ruas”, comentou Boca, como é popularmente conhecido o chefe do departamento.

+ Cotidiano
Participe também com seus comentários

últimas notícias
notícias mais lidas