Canal Içara

Canal Içara

24 de agosto de 2019 - 12:49
Cotidiano »
História de Içara passa a ser documentada no projeto Futurismo
01/04/2007 às 16:30 | Lucas Lemos | jornalagoraonline.com.br
Iniciou nesta semana, no dia 27, em Içara, o Projeto Futurismo, idealizado pela Associação de Turismo do Sul de Santa Catarina (Atus), apoiado por empresas e pela Secretaria da Educação de Içara. Nesta primeira etapa, os professores das quartas séries da rede municipal receberam orientações sobre a história da colonização da cidade e como deverão fazer a pesquisa de campo para poderem criar o mapa turístico de Içara.

O projeto que começa a ser desenvolvido na cidade, servirá de apoio para as apostilas redigidas pela professora de geografia Derlei Catarina De Luca, que contam a história de Içara e serão utilizadas no ensino fundamental do município. O responsável pela organização do projeto é o Professor, formado pela Universidade Federal de Santa Catarina (Ufsc), em história, Vilson Francisco Farias, que, além de Içara, desenvolve o levantamento dos pontos turísticos e culturais em outras cidades do sul, como, Criciúma, Treviso, Siderópolis, Nova Veneza, Morro da Fumaça e Orleans.

Para Farias, “o projeto é uma forma de se identificar o que temos e registra-los para que no futuro se tenha uma referência do período em que vivemos”. Ele destaca também, que o município tem ainda muitos aspectos culturais a serem revelados e destacados, como a casa da família Guglielmi, no bairro Esperança. Segundo Farias, falta consciência da população e um exemplo disto é a ausência de restaurantes com comidas típicas das etnias que iniciaram a colonização da cidade. Conforme levantamento feito pelo professor, 60% da população de Içara é formada por descendentes açorianos. “As pessoas do sul tem cultura, mas deixam escapar os costumes pela janela”, completa Farias.

Para a Secretária da Educação de Içara, Terezinha Valvassori, “o projeto é um estudo histórico e cultural que vai resgatar uma parte de Içara que não conhecemos”. A secretária também destacou a importância que as escritoras Derlei Catarina De Luca e Elza De Mello tem para o município ao documentarem em livros os fatos antigos ocorridos no município.

Cada professor participante receberá 15 formulários para serem preenchidos pela comunidade, documento este que deverá ser entregue ao coordenador, professor Farias, em um prazo máximo de 30 dias para análise e seguimento da próxima etapa, a correção e a elaboração do mapa turístico e cultural de Içara. Os dados coletados devem ser apresentados em um fórum estadual de turismo.

Entre as ações para a união da cultura no sul do estado está a criação da August Fest, evento que reúne diferentes festas, incluindo a Festa de São Donato, realizada no mês de agosto em Içara. Juntas estas festividades movimentam a economia local e, por este motivo, são dados preferências para os grupos tradicionalistas locais se apresentarem nos eventos. Ao contratar bandas da região, o dinheiro fica por aqui, fato que não ocorre quando grupos ou cantores famosos vêm ao sul, recebem o seu cachê, e a maior parte do dinheiro volta para a cidade em que residem estes artistas.


SOBRE O PROJETO FUTURISMO

O projeto, patrocinado pela Coopera, de Forquilhinha, Cooperaliança, de Içara, e Metalúrgica Spillere, de Nova Veneza, visa o registro do momento histórico em que vivemos. Os mapas culturais serão disponibilizados nos sites do governo do estado (www.sc.gov.br) e da prefeitura municipal de Içara (www.icara.sc.gov.br) Deve compor este trabalho o registro dos locais que possivelmente possam se tornar pontos turísticos, receitas de comidas típicas da região e o relato dos costumes do sul.

O projeto é a nível estadual, porém a primeira região onde ele está sendo desenvolvido é o sul catarinense.


CURIOSIDADES

- Algumas curiosidades relatadas na terça-feira, dia 27, durante o curso:
- Até 1777 Içara pertencia, por direito, a Espanha.
- Alguns sobrenomes encontrados atualmente na região foram criados no Brasil, quando os negros e índios eram batizados. Ao se tornarem cristãos estes habitantes recebiam um sobrenome religioso como: Jesus, Conceição e Nascimento (João de Jesus, Maria da Conceição, José do Nascimento).
- Em 1750 havia menos de 3 mil habitantes (batizados), na capitânia de Santa Catarina.
- No século XVII, os Distritos eram chamados de Freguesias, e as sedes dos municípios eram chamadas de Vilas. Içara portanto já foi freguesia de Criciúma.
- Em 1970, Santa Catarina contava com 197 vilas (cidades) e 391 freguesias (distritos).
- O tamanho médio das famílias por volta de 1750, era de 6 pessoas contando com escravos, e 5 pessoas sem estes na composição familiar.
- Portugueses continentais, açorianos, vicentistas, negros e índios foram as populações básicas do litoral catarinense até 1850.
- A igreja Católica era o centro de toda a vida social
+ Cotidiano
Participe também com seus comentários

últimas notícias
notícias mais lidas