Canal Içara

Canal Içara

18 de agosto de 2019 - 02:37
Cotidiano » 67ª Festa de São Donato
Colecionadores de cédulas e moedas criam associação em Içara
05/08/2017 às 17:57 | Lucas Lemos - lucas.lemos@canalicara.com
Lucas Lemos [Canal Içara]
Para os colecionadores, as cédulas e moedas tem valor maior do que o próprio dinheiro. Afinal, através delas é possível contar a história das nações. Algumas moedas custam até mais do que a quantia que apontam. São feitas exclusivamente para quem é apaixonado pela numismática. "Minha coleção começou aos 11 anos por causa de um tio que deu uma coleção quase completa da Era Vargas. Recentemente organizei todo o acervo e contabilizei mais de 3 mil itens", coloca Ederaldo da Silveira.

"Colecionei também tampinhas, carteiras de cigarro até chegar a itens mais valiosos. Cada moeda passou em diversas mãos. Por isso, é possível viajar no tempo. As coleções formam um legado para que filhos ou netos levem a história para ainda mais pessoas", completa. A mesma paixão de Ederaldo é dividida atualmente por oito colecionadores organizados através da Associação Numismática e Filatélica de Içara. A nova entidade foi criada no dia 18 de julho com a proposta de fomentar o poder de compra, das trocas e viagens.

Uma prévia do acervo mantido pelos colecionadores de Içara está presente na 17° Feira da Indústria e Comércio. O próximo passo da Anfi será a composição de uma diretoria para a formalização da entidade. O valor da mensalidade é de R$ 10. "Existem também associações estaduais e nacional. Através deste associativismo, conseguimos acesso mais fácil aos materiais. Para começar, a primeira orientação é adquirir um catálogo para realizar a classificação do que já se tem", relata Márcio Serafim Folis.

"Meu foco é a moeda nacional. Mas tenho também de outros países, dentre elas, a cédula com maior valor facial já emitida no mundo com 100 trilhões de dólares, devido a inflação no Zimbábue em 2008, na época com poder de compra de no máximo três ovos. Consegui também uma cédula do primeiro lote da Casa da Moeda do Brasil. O valor de cada uma está na quantidade de exemplares emitidos e o estado de conservação", lista. Márcio coleciona desde os sete anos e, atualmente, aos 39, tem mais de 1,6 mil peças diferentes.

"Ainda há cédulas em circulação - com número de série iniciada em CJ - que valem quase R$ 500 devido a mudanças de assinaturas em pouco espaço de tempo no Ministério da Fazenda. As mais valiosas tem valor de face de R$ 10", relata. "Há os juntadores e os colecionadores. Quem coleciona, estuda sobre cada item. As redes sociais facilitam a pesquisa. Com a Anfi, pretendemos formar grupos na cidade para ir também aos encontros. Um dos melhores eventos do setor ocorrerá em Curitiba (PR) no mês de outubro", pontua.
Participe também com seus comentários

últimas notícias
notícias mais lidas