Canal Içara

Canal Içara

13 de dezembro de 2019 - 12:26
Cotidiano » Caso Vivian Lais Philippi
Crônicas: Vívian Laís Philippi
15/09/2018 às 08:00 | Simone Luiz Cândido
Quisera que o dia de hoje fosse uma grande festa em família, pois Vívian Laís completaria seus 21 anos! Aos 17 anos teve sua vida ceifada e muitos conhecem a sua história, seus pais, irmãos, sobrinhos, tão amorosos. A dor da saudade é inevitável e já perdi as contas, de quantas vezes chorei lendo relatos de amor, amizade sobre ela. Sua trajetória na terra foi muito curta, mas mesmo assim, conseguiu tocar o coração de cada pessoa que a conheceu. Era uma menina amorosa com seus pais, amigos, sobrinhos e pela sobrinha que estava para nascer.

Tinha um carinho especial pelo sobrinho Henrique o chamava de filho tamanho era o afeto por ele. Imagino hoje como seria com os novos sobrinhos que nasceram depois de sua partida. Quanto amor carregava em seu ser! Restaram os bilhetes com declarações de amor que escrevia a seus pais. Era incansável no modo de amar aqueles que estavam próximos dela. Delicada, afetuosa, companheira. São tantos atributos que a Vívian deixou de legado. Era a caçula da família, por isso, ficava mais tempo com os pais. Tantos sonhos ficaram para trás!

Quando nasce um filho(a), os pais desejam um futuro brilhante, para ele(a). E foi assim quando nasceu a Vívian, mas infelizmente, os sonhos se perderam no vazio da saudade. Aprendemos amá-la, e mesmo depois da sua partida, o amor que nutrimos por meio de tantas lembranças, faz com que ela continue viva em nossas vidas. Quando alguém parte para a eternidade ou plano espiritual, leva muito de nós. De onde estão podem sentir nosso amor, nossa dor da saudade.

A companheira inseparável de sua querida mãe Anna Luiza, tardes alegres onde deitavam acariciando os cabelos com suas mãos entrelaçadas. Contou-me sua Mãe que olhava em seus olhos tocava seus lábios admirando quão perfeita era a Vívian e lhe dizia: “Filha que boca linda tu tens, que linda tu és.” Vívian sorria e concordava. A jovem Vívian, a caçula da família, a que mais se parecia fisicamente com a mãe por ter nascido com cabelos escuros. Uma ligação muito especial entre mãe e filha, ligava pra mãe para contar coisas alegres ria, fazia graça da vida.

Certa feita no aniversário de uma amiga não tendo um bolo para comemorar o aniversário levou um cup cake. Ali mesmo na escola cantaram parabéns. Durante esses três anos sua mãe tem sofrido muito sua dor é impossível saber a intensidade, apenas posso imaginar como é. A vida da Anna tornou-se muito amarga pela falta da presença da Vívian em seu lar, pelas mensagens, ligações, áudios via Whatasapp. Tudo isso faz muita falta, noites e noites a fio de lágrimas derramadas em silêncio, abraços na almofada com a foto da Vívian.

Muitas pessoas não conseguem entender essa dor que sufoca a cada dia, nesses momentos quando leio desabafos da Anna Luiza Peço ao bom Deus que amenize essa dor. Esse amor pela Vívian é único, pois cada um dos seus cinco filhos tem o amor da mãe, cada um a sua maneira como seres diferentes que são. Não importa para uma mãe qual dos filhos parte antes dela, o fato é que nenhuma mãe deveria passar por isso.

Definiria esse amor maternal, esse elo das duas, como algo muito especial, afinidade as duas tinham muita, se entendiam, e se algo não estivesse bem logo voltavam a ficarem unidas novamente. A festa hoje é no plano espiritual, pois a Vívian continua viva, somos eternos.
Não podemos arrancar do coração dessa mãe a dor da falta da presença física, mas podemos tornar o dia de hoje um dia especial, fazermos preces. Emanar amor fará muito bem! Ela sentirá cada palavra de carinho, cada afeto enviado e, com certeza, sentirá que continua sendo muito amada por todos, em especial por Anna Luiza, sua mãe querida, seu pai João Plínio, pessoas especiais que aprendi a amar.

Cada prece, cada palavra de carinho para com seus pais, irmãos e demais familiares, chega como um belo presente. Se ela pudesse pedir algo qual seria seu pedido no seu aniversário? Não a conheci aqui na terra, mas tenho certeza de que com sua alma tão generosa, talvez dissesse: “Ah! Se vocês soubessem o quanto me dói ver vocês assim sofrendo e chorando sem parar. Talvez vocês ainda não entendam que continuo viva apenas parti de perto de vocês. Meus queridos se unam digam o quanto amam as pessoas que estão por perto, Façam caridade, doem um pouco de tempo para quem necessita quantos precisam de uma palavra amiga essa que é gratuita. Sejam benevolentes, rezem pelos jovens da terra e do plano espiritual muitos necessitam de orações”.

Encerro essa homenagem para você “menina-amor”, elevando minhas contínuas preces, por todos que sofrem sua ausência física. Clamo a Deus que acalente seus corações. O Amor é eterno! Parabéns amada Vívian, amaremos você para sempre.
Simone Luiz Cândido é voluntária na causa adoção de crianças e adolescentes; já participou de três antologias com suas crônicas, além disso, ama escrever reflexões sobre a vida cotidiana, eternidade, amor e convivência.
+ Cotidiano
Participe também com seus comentários

últimas notícias
notícias mais lidas