Canal Içara

Canal Içara

22 de setembro de 2020 - 10:15
Cotidiano »
Júlia Helena: Sete dicas para proteger os rins
26/06/2020 às 07:26 | Júlia Helena Lima
Você conhece nossos guerreiros? Essa dupla imbatível possui apenas 150g cada em um tamanho de 12cm, é responsável por filtrar o sangue e jogar fora aquilo que não pode ficar nele. Talvez, você não faça noção da importância de manter os rins saudáveis e, por isso, vou dar uma “mãozinha” para que você possa cuidar deles e evitar a tal da doença renal crônica (DRC).

As células do rim, os néfrons, possuem funções específicas em cada uma de suas partes. A primeira é o glomérulo, uma espécie de filtro com formato novelo de lã microscópico que recebe o fluxo sanguíneo. Quando esse fluxo está muito elevado ou “pesado”, os elementos sanguíneos batem com “força” e lesionam essa estrutura.

E se você tem um filtro furado, meu amigo... o problema só começou. Elementos que não eram para passar, acabam passando e fazendo estrago nas demais partes dessa célula. E o que mais assusta é que isso acontece todos os dias e a gente não sente nada.... Só vai perceber quando a doença está instalada e os nossos rins já estão em estágio que não dá mais de reverter, pois você literalmente matou a função dessas células.

Com essa explicação rapidinha sobre o início dos problemas renais, vou sugerir pequenos hábitos para que você possa se proteger e cuidar melhor destes órgãos tão importantes para manutenção da vida.

Beba muita água
Tem gente que não gosta de tomar água pelo desconforto de ter que fazer muitas idas ao banheiro. Mas, acreditem:dos males, o menor. Ficar com pouca água no sangue, deixa ele mais viscoso, o que “pesa”, auxilia na lesão renal e atrapalha a circulação. Manter a excreção de urina de forma ideal é garantir que as impurezas estão saindo ao invés de ficar dentro do corpo fazendo estragos. Um número ideal de idas ao banheiro é de 6 a 8 vezes por dia.

Diabetes e pressão na rédea curta
Quando esses marcadores estão em níveis exagerados, a probabilidade de desenvolver a DRC é ainda maior. A pressão elevada machuca os nefróns a todo tempo e o alto valor do açúcar no sangue “destrói” a proteção. Nos casos em que o estrago já foi feito, a primeira medida é ficar de olho na pressão e no diabetes.

Fique de bem com a balança
Manter-se no peso ideal também é uma regra de ouro para seguir com os rins a mil. Indivíduos com o índice de massa corporal (IMC) nos parâmetros saudáveis ficam protegidos dos pés à cabeça e os filtros naturais saem ganhando.

Adote uma alimentação equilibrada
Tomar cuidado com o excesso de gordura e ingerir alimentos ricos em vitaminas e fibras colabora bastante para a manutenção das funções renais. Quando o indivíduo já sofre com a DRC, é provável que seja obrigado a fazer algumas mudanças em seu cardápio.

Só use analgésicos com orientação
Remédios só deveriam entrar em cena com a indicação de um especialista. Até mesmo quando aparece aquela simples dor de cabeça, fuja da automedicação. Na hora, ela pode até ser solucionada, mas, a longo prazo, quem pode sofrer são seus rins. Tanto os analgésicos quanto os anti-inflamatórios são capazes de prejudicá-los se tomados em excesso porque favorecem a ocorrência de doenças renais.

Vá devagar com a bebida
Enfiar o pé na jaca não vai agradar aos pequenos filtros, que sofrem indiretamente. Em excesso, o álcool pode causar hipertensão, que vai evoluir até gerar problemas renais. A bebida também causa prejuízos ao fígado, o que, em última instância, vai desembocar em um maior estrago nos rins.

Apague o cigarro
Nos rins, a atuação do fumo é tão nefasta quanto em outras partes do corpo. E a explicação está no surgimento de pequenos bloqueios, as placas de gordura, que diminuem o calibre dos tubos por onde circula o sangue. Isso causa problemas de pressão que, por sua vez, levam à DRC. Os rins são cheios de vasos sanguíneos. O cigarro desencadeia inflamações que prejudicam o órgão.

Boa sorte com essa dupla. Beijos e até a próxima
*Júlia Helena Lima é formada em Educação Física, com pós em Obesidade e Emagrecimento, é acadêmica de Medicina, sócia-idealizadora da Evolua CrossTraining, coordenadora do Projeto Saúde Urbana, empresária e palestrante.
+ Cotidiano
Participe também com seus comentários

últimas notícias