Canal Içara

Canal Içara

24 de fevereiro de 2020 - 19:04
Economia »
Análise Econômica: Geração de empregos sinaliza reaquecimento na Amrec
29/01/2020 às 07:53 | Andréia Limas
Acompanhando a tendência nacional, a economia da Região Carbonífera dá sinais claros de reaquecimento, que podem ser conferidos através de indicadores como a geração de empregos. Conforme os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados na última sexta-feira, dia 24, 10 dos 12 municípios que compõem a Amrec terminaram o ano de 2019 com saldo positivo no comparativo entre contratações e demissões. Apenas em Nova Veneza (-14) e Treviso (-98) as empresas apresentaram mais desligamentos do que admissões.

Protagonista: E Içara aparece novamente como protagonista no quesito número de empregos formais gerados na região. Com 861 novos postos de trabalho, obteve seu melhor desempenho nos últimos nove anos e alcançou o terceiro lugar na Amrec, atrás apenas de Criciúma (que teve 1879 vagas) e Siderópolis (com 1278). As vagas abertas em Içara correspondem a mais que o dobro da quarta colocada na região, Forquilhinha, com 412 novos empregos gerados. Entre os demais municípios, Cocal do Sul teve saldo de 250, Urussanga registrou 166, Lauro Müller gerou 122, Morro da Fumaça criou 88 e Balneário Rincão fechou com saldo positivo de nove.

Indústria: O desempenho de Içara foi puxado pelo setor industrial, que abriu 391 vagas; seguido pela prestação de serviços, com 261, construção civil (112), o comércio (64), agricultura (18), serviços industriais de utilidade pública (15) e administração pública (quatro). Apenas a atividade extrativista mineral registrou redução de quatro postos de trabalho.

Avaliação: A avaliação que se tem a partir desses números é que o empresariado voltou a contratar pois sentiu que a economia aos poucos vai reagindo, o consumo é retomado e isso torna possível também voltar a fazer investimentos. As incertezas dos últimos anos frearam o consumo e, claro, isso refletiu no mercado de trabalho.

Por outro lado... O setor que mais contrata é também o que aponta uma antiga carência na região: a falta de mão de obra qualificada. Uma pesquisa realizada pela Associação Empresarial de Criciúma (Acic) mostrou que a indústria poderia empregar ainda mais, se encontrasse profissionais capacitados conforme as suas necessidades. Com setores emergentes e a entrada cada vez mais forte da tecnologia, os cursos oferecidos na região precisam estar alinhados a essa demanda.

Interesse: E os profissionais, ainda que já empregados, não podem se acomodar. Precisam buscar a qualificação constantemente, pois assim vão conseguir melhores postos de trabalho, remunerações mais altas e possibilidade de avançar na carreira. Por mais que os robôs sejam usados em grande escala, devemos lembrar que eles sempre vão depender de alguém que os programe e opere, por exemplo.

Animador: Outro dado animador para a economia de Içara vem da balança comercial. Ao todo, as empresas da cidade somaram US$ 35,2 milhões em exportação e US$ 15,12 milhões em importação em 2019, um superávit de US$ 20,12 milhões, em um ano em que o dólar bateu recordes de valorização. Conforme os dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, o maior volume exportações ficou por conta das indústrias químicas e conexas com 53,57% de participação. Outros 20,36% corresponderam a materiais de transporte e 13,81% a animais e produtos de origem animal. Entre os principais parceiros estão a Argentina, seguida da Bolívia, Paraguai, Estados Unidos e Chile.

Combustíveis: A equipe do Procon Içara já realizou a primeira pesquisa no preço dos combustíveis de 2020. Os fiscais percorreram 21 postos do município e constataram oscilações entre os valores praticados, conforme tabela divulgada na semana passada e disponível no órgão de defesa do consumidor. O levantamento mostra que o preço mais elevado da gasolina comum foi encontrado a R$ 4,399 e o mais baixo a R$ 4,297; a aditivada a R$ 4,599 e R$ 4,299; o diesel comum entre R$ 3,799 e R$ 3,479 e o diesel S10 com preço máximo de R$ 3,899 e mínimo de R$ 3,549. A pesquisa é importante para orientar o consumidor, mas é preciso lembrar que o valor dos combustíveis sofre oscilações conforme o mercado internacional. E as recentes tensões no Oriente Médio fizeram disparar o preço do barril de petróleo, refletindo no nosso bolso.
Andréia Medeiros Limas é jornalista, com experiência editorial nos jornais da Região Carbonífera, e assessoria de imprensa.
+ Economia
Participe também com seus comentários

últimas notícias
notícias mais lidas