Canal Içara

 
05 de julho de 2022 - 15:26
#Cotidiano #Economia #Política #Segurança #Esportes +Leitor-repórter +Guia Içara
Economia »
Andreia Limas: Crescimento dos setores catarinenses desacelera em relação a 2021
Em Santa Catarina, setor de serviços avançou 2,8% no primeiro quadrimestre, frente aos 7,9% registrados no mesmo período do ano passado
22/06/2022 às 08:39 | Andreia Limas - andreia.limas@canalicara.com
Na semana passada, a coluna trouxe alguns números referentes ao movimento econômico no primeiro quadrimestre deste ano, a partir de indicadores como o PIB, a inflação, a geração de empregos, a balança comercial e a abertura de empresas.

Hoje, vamos falar sobre o comportamento dos principais setores da economia nos quatro primeiros meses de 2022, tendo como base dados apurados pelo IBGE em suas pesquisas mensais de serviços, comércio e indústria.

Serviços

Considerando o desempenho nacional, o volume do setor de serviços variou 0,2% em abril, acumulando alta de 9,5% em 2022 na comparação com o mesmo período de 2021. Com esse resultado, o setor está 7,2% acima do nível pré-pandemia, de fevereiro de 2020.

Santa Catarina

No Estado, a história é um pouco diferente. Após esboçar reação no mês anterior, o volume de serviços em Santa Catarina voltou a retrair em abril – a queda foi de 2,6% frente ao mês anterior. Em 2022, o setor tem apresentado taxas negativas na variação mês a mês e desacelerou o movimento de recuperação na comparação com o mesmo período do ano anterior, passando de 7,9% para 2,8%.

O desempenho também difere entre os segmentos. Os serviços de alimentação e alojamento (hotéis e restaurantes), lideram a alta entre os setores, ao aumentar 51,2% frente a igual período do ano anterior. O setor de turismo está no mesmo caminho: apresentou forte acréscimo de 80,3% frente ao mesmo mês do ano anterior. Na comparação mês a mês, houve alta de 7,1%, o segundo crescimento seguido. Em 12 meses, o volume acumulado atingiu 42,1%.

Comércio

O volume de vendas do comércio varejista no país cresceu 0,9% em abril, na comparação com março, apresentando o quarto mês consecutivo de alta. Contra igual período do ano passado, o crescimento foi de 4,5%. Nos primeiros quatro meses do ano, o setor acumulou aumento de 2,3%, e, nos últimos 12 meses, de 0,8%.

No comércio varejista ampliado, que inclui, além do varejo, as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção, o volume de vendas apresentou aumento de 0,7% frente a março.

Desaceleração

Em Santa Catarina, o volume de vendas do comércio manteve trajetória positiva pelo terceiro mês sucessivo – em abril, avançou 0,2% na comparação com o mês anterior. Entretanto, o ritmo desacelerou frente a março (1,3%) e o desempenho do Estado foi inferior ao cenário nacional.

A média mensal das vendas entre janeiro e abril ficou em 0,7%, revertendo o movimento negativo do segundo semestre de 2021 (-0,2%). Já o comércio varejista ampliado registrou resultado negativo, com variação de -0,2%, segunda queda consecutiva. No acumulado do ano, o comércio ampliado cresceu 6,3% e em 12 meses houve alta de 6,4%.

Indústria

A produção industrial avançou em oito dos 15 locais investigados em abril, quando o índice nacional cresceu 0,1%. Os destaques do mês foram Rio de Janeiro (5,9%), Santa Catarina (3,3%) e Bahia (3,0%), com as maiores expansões na produção.

Foi o terceiro mês seguido de avanço, porém, nos primeiros quatro meses de 2022, o setor ainda acumula queda de 3,4% e, nos últimos 12 meses, o acumulado caiu 0,3%, primeiro resultado negativo desde março de 2021 (-3,1%).

Empregos

Mesmo que o crescimento dos setores tenha ficado abaixo da média nacional, a geração de empregos continua positiva em Santa Catarina. O Estado teve a maior geração absoluta de postos de trabalho formais no Sul do Brasil durante os quatro primeiros meses do ano.

De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), o saldo no primeiro quadrimestre foi de 66.922 novas vagas com carteira assinada, o que representa também o terceiro melhor resultado do Brasil, atrás apenas de São Paulo e Minas Gerais. Isso que conta com a menor população e menor extensão territorial em comparação a esses estados.

Dos empregos adicionados entre janeiro e abril, 34.192 vieram do setor de serviços, 21.089 da indústria, 11.277 da construção e 918 da agropecuária. Apenas o comércio perdeu postos de trabalho formal no período, com o fechamento de 554 vagas.

Santa Catarina também possui a menor taxa de desemprego do Brasil, com 4,5%, menos da metade da média nacional, segundo dados divulgados pelo IBGE.

No país

No acumulado de janeiro a abril de 2022, o saldo é de 770.593 novas vagas de emprego no país. Entre os setores, a liderança absoluta é dos serviços, com mais de 534,5 mil postos adicionados no período, seguidos pela indústria, com quase 128 mil; construção, com quase 120 mil; e agropecuária, com mais de 23 mil. Já o comércio perdeu mais de 34,6 mil vagas no período.

Juros

No esforço para conter a inflação, o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) decidiu elevar a taxa básica de juros pela 11ª reunião consecutiva, apesar de desacelerar o ritmo. Em vez de 1% como ocorreu anteriormente, a reunião realizada na semana passada definiu o aumento de 0,5% na Selic. Com o resultado, a taxa atingiu 13,25% ao ano, o maior patamar desde dezembro de 2016. O movimento de elevação dos juros encarece o crédito, inibe investimentos e reduz o consumo das famílias, gerando impacto sobre os preços.
Andréia Medeiros Limas é jornalista, com experiência editorial nos jornais da Região Carbonífera, e assessoria de imprensa.
Participe também com seus comentários

 COBERTURAS ESPECIAIS
últimas notícias

Conheça as marcas que potencializam o crescimento da cidade