Canal Içara

 
17 de agosto de 2022 - 09:56
#Cotidiano #Economia #Política #Segurança #Esportes +Leitor-repórter +Guia Içara
Economia »
Andreia Limas: O que o comércio pode esperar do Dia dos Pais?
Pesquisas apontam tíquete médio com presentes entre R$ 150 e R$ 183,66
03/08/2022 às 12:42 | Andreia Limas - andreia.limas@canalicara.com
Embora em menor volume que o Dia das Mães e mesmo o Dia dos Namorados, o Dia dos Pais é uma data que costuma movimentar o comércio e o setor de serviços, nesse caso, com atividades que envolvam a família. Mas o que esses setores podem esperar em termos de faturamento neste ano?

Para fazer uma estimativa a respeito, entidades empresariais promovem pesquisas entre consumidores e empresários. Esses levantamentos mostram, por exemplo, tíquete médio com presentes entre R$ 150 e R$ 183,66 no Estado.

Fecomércio

A Fecomércio realizou pesquisa para conhecer o perfil do consumidor, buscando preparar o empresário do setor com informações relevantes para um melhor aproveitamento da data. Foram ouvidas 2.105 pessoas, nas cidades de Blumenau, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Joinville, Lages e Itajaí.

A pesquisa de intenção de compras demonstra os consumidores propensos a ampliar os gastos para os presentes em cerca de 11,86% frente ao ano anterior. Isso significa praticamente manter o volume de vendas, se considerarmos a inflação do período, de 11,89% no acumulado dos últimos 12 meses.

A expectativa de gasto médio dos consumidores catarinenses ficou em R$ 183,66, abaixo do nível pré-pandemia. Está 9,21% menor que em 2018 (R$ 202,28) e 5,15% menor que em 2019 (R$ 193,63), em termos reais. Em Criciúma, a projeção de tíquete médio é de R$ 171,08.

Última semana

Como de praxe, as compras devem ficar concentradas durante a semana que antecede a data comemorativa, pois 73,8% dos consumidores indicaram essa situação – desse total, 14,3% pretendem comprar na véspera, 4,8% no dia e 54,7% na semana. Até lá, os salários já estarão em conta, o que pode favorecer as vendas para a data.

FCDL

Entre os comerciantes, o clima é de otimismo, como mostra o levantamento da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL/SC) junto a empresários do setor: 80% dos entrevistados esperam resultado melhor do que o registrado na mesma data no ano passado. Também houve a projeção de crescimento entre 4,1% e 6,1% no volume de vendas.

Os empresários entendem que o tíquete médio deva ficar na faixa de R$ 150, com os itens de vestuário e calçados liderando a lista de presentes na preferência do consumidor. O levantamento foi realizado com empresas que atuam no varejo nas 20 cidades com maior potencial de consumo de Santa Catarina.

Em Içara

Para a data, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Içara também preparou uma ação especial e vai sortear uma estadia na Pousada Vale dos Figos e um almoço na Vigna Mazon, em Urussanga, além de brindes, entre quem escolher as lojas parceiras para comprar.

O horário de atendimento também será ampliado até as 17 horas, com a realização de duas edições do Sábado Total, neste e no próximo fim de semana.

Serviços

Além de movimentar o comércio tradicional, o Dia dos Pais também traz impactos para o setor de serviços. Geralmente é grande o número de famílias que aproveitam o dia para realizar alguma programação especial. Entretanto, a maioria dos entrevistados pela Fecomércio informou que não pretende realizar nenhum tipo de passeio (56,1%) este ano.

A segunda opção mais citada foi almoçar/jantar na casa de familiares, respondida por 20,8% dos entrevistados, frente a 7,2% dos que pretendem ir a restaurantes, resultado também inferior aos períodos pré-pandemia.

Empregos

Apesar do indicativo da pesquisa para o Dia dos Pais da Fecomércio, o setor de serviços continua em franca recuperação e isso é demonstrando por indicadores como o Novo Caged.

Atualizados até junho, os dados divulgados na semana passada pelo Ministério do Trabalho e Previdência mostram que os serviços responderam pelo incremento de 399 empregos formalizados no primeiro semestre em Içara, quatro vezes mais que a segunda colocada, a construção, que adicionou 91 no período. No comércio, foram 28 admissões a mais que desligamentos, enquanto a agropecuária obteve saldo positivo de quatro.

Com os 430 novos empregos adicionados à economia do município desde o início do ano, Içara fechou o mês de junho com 20.175 pessoas trabalhando com carteira assinada.

Região Carbonífera

A Região Carbonífera chegou a 5.491 empregos formais acrescentados no primeiro semestre deste ano, considerando os 12 municípios. Entre os setores, o maior número de novas vagas – 3.366 – foi gerado pelo setor de serviços, seguido pela indústria, com 1.657, e pela construção, com 366. Já a agropecuária perdeu 52 postos formalizados no período.

Em Santa Catarina, os serviços também lideraram a geração de empregos com registro em carteira no semestre, com 43.395 vagas do total de 84.367 adicionadas entre janeiro e junho.
Andréia Medeiros Limas é jornalista, com experiência editorial nos jornais da Região Carbonífera, e assessoria de imprensa.
Participe também com seus comentários

 COBERTURAS ESPECIAIS
últimas notícias

Conheça as marcas que potencializam o crescimento da cidade
Coberturas especiais