Canal Içara

Canal Içara

09 de agosto de 2020 - 20:04
Economia »
Andréia Limas: Para aquecer o coração dos lojistas...
10/06/2020 às 09:10 | Andréia Limas
Os lojistas estão mais ansiosos pelo Dia dos Namorados do que quem vai receber o presente da pessoa amada. Afinal, a data representa mais uma esperança de recuperação em um ano totalmente atípico, de lojas fechadas, faturamento em queda e dificuldades para manter o quadro de pessoal.

E o que renova as expectativas de um bom desempenho em vendas é a chegada do frio. No ano passado, as baixas temperaturas foram raras e não houve intensas ondas de frio como costuma ocorrer no outono/inverno catarinense, fazendo com que as roupas mais pesadas e as cobertas ficassem nas prateleiras. Sem a renovação do guarda-roupa no ano passado, a tendência é de que este ano o consumidor precisará ir às compras.

Intenção de consumo

O otimismo, no entanto, esbarra nos números. Segundo a Pesquisa de Intenção de Compras – Dia dos Namorados 2020, realizada pela Fecomércio SC, o percentual de consumidores que informaram não saber o que seria comprado ou não responderam quase triplicou, atingindo 14,3%. Sete a cada dez consumidores afirmaram que não devem comemorar a data fora de casa. Um dos principais destinos dos casais, os restaurantes registraram queda de quase 30 pontos percentuais. Apenas 12,2% dos entrevistados devem almoçar ou jantar fora, atrás até mesmo daqueles que não sabem ou não responderam suas intenções de passeio (13,7%).

Roupas e perfumes

Entre os que já se definiram pelas compras, as roupas (33,2%) e perfumes/cosméticos (18,4%) continuam liderando a lista de presentes. O comércio de rua (53,8%), os shoppings (23,0%) e a internet (14,5%) serão os principais locais de compra. Independente do canal de venda, o atendimento (25,6%) será determinante, à frente do preço (23,3%) e da qualidade do produto (22,8%). A expectativa de gasto médio dos consumidores catarinenses é de R$ 138,47. Quase a metade pretende pagar à vista em dinheiro (45,3%), seguido pelo débito à vista (24,4%). Esse comportamento também pode indicar a intenção de evitar o endividamento futuro com compras parceladas. A pesquisa foi realizada com 1.126 pessoas, entre os dias 18 e 30 de maio, nas cidades de Blumenau, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Itajaí, Joinville e Lages.

Queda no faturamento

Segunda maior data em vendas para o comércio durante o ano, perdendo apenas para o Natal, o Dia das Mães pode ser um bom termômetro para a projeção do setor para o Dia dos Namorados. Ouvindo 362 empresas dessas mesmas cidades, a Fecomércio SC questionou os empresários sobre qual foi a variação do faturamento na data. Os entrevistados apontaram queda de 32,38% em relação ao Dia das Mães de 2019, como pode ser aferido também pela Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), realizada pelo IBGE. Já na comparação com os meses comuns, o crescimento da percepção de faturamento foi de 1,07%, indicando que o expressivo movimento comercial que é tipicamente relacionado à data pouco compensou os efeitos da crise e pandemia.

Confiança

A Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL/SC) também fez um levantamento junto a empresários do comércio e serviços nas 20 cidades de maior potencial econômico do Estado, sobre as perspectivas para o Dia dos Namorados. O estudo apontou que 58% acreditam que as vendas do comércio para a data, a terceira melhor do setor no ano, devem ser semelhantes ou melhores que as de 2019, sendo que 55,6% dos entrevistados acreditam que o crescimento deste ano deve chegar a 2,5%. Outros 27,2% dos lojistas preveem resultados negativos. Foi revelado, ainda, que embora os itens de vestuário e calçados sejam a preferência como presente na opinião de 25,45% dos ouvidos pelo levantamento, outras opções foram citadas na sequência, como perfumes e cosméticos (14,4%), e chocolates (11%). Dos entrevistados, 72,5% pretendem realizar promoções, campanhas, eventos ou descontos para a data.

Avaliação

“Os empreendedores catarinenses têm a capacidade de superar obstáculos em seu DNA e sairão mais fortes deste momento. Observamos que o consumidor prossegue cauteloso por conta da conjuntura, mas, em paralelo, está saudoso de uma prática recorrente e histórica: o prazer de ir às compras, de presentear e ser presenteado. A combinação do início da temporada de frio e o Dia dos Namorados deve reforçar o apelo ao consumo, proporcionando grandes alegrias e momentos inesquecíveis aos namorados em sua data máxima”, avalia Ivan Tauffer, presidente da FCDL/SC.

Negociações

Em meio aos problemas gerados pela pandemia e a expectativa pelo reaquecimento das vendas, patrões e empregados tentam chegar a um acordo sobre a convenção coletiva de trabalho em Içara, Morro da Fumaça e Balneário Rincão. O Sindicato dos Comerciantes Varejistas e Atacadistas (Sindilojas) de Içara e Região formou uma comissão interna para negociação com o sindicato laboral e criou também uma pauta para a continuidade do diálogo, na assembleia geral ordinária realizada de forma on-line na última quinta-feira, dia 4. A convenção coletiva de trabalho encerrou em abril. Por isso, os comerciantes devem seguir atualmente a legislação trabalhista e as medidas provisórias vigentes.

Feriado

Para a abertura no Corpus Christi, celebrado nesta quinta-feira, 11, véspera do Dia dos Namorados, será preciso um acordo individual com cada trabalhador. O dia trabalhado poderá ser pago, compensado no banco de horas ou com folga, conforme cada acordo.

Inovação

Além das dificuldades, a pandemia de coronavírus também criou espaço para a inovação, proporcionando novas experiências de consumo. Em um shopping de Criciúma, por exemplo, está em operação o “Carrinho da Honestidade”, com o objetivo de despertar a compra de produtos sem que haja atendimento ou supervisão. As opções são expostas com o preço, o cliente retira o que deseja, deixa o pagamento e leva. O sistema de autoatendimento, também conhecido como "pegue e pague", tem uma dinâmica de venda difundida em países desenvolvidos como Inglaterra e Suíça, em que as opções de pagamento se dão através da máquina de cartão de crédito e débito e também em dinheiro. O projeto, com algumas versões em outros lugares do país, é inédito na região.
Andréia Medeiros Limas é jornalista, com experiência editorial nos jornais da Região Carbonífera, e assessoria de imprensa.
+ Economia
Participe também com seus comentários

últimas notícias