Canal Içara

Canal Içara

27 de outubro de 2020 - 13:11
Economia »
Andreia Limas: Reajuste salgado e fora de hora nas tarifas de energia é definido pela Aneel
26/08/2020 às 09:01 | Andreia Limas
Lucas Lemos [Canal Içara]
A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nessa terça-feira, dia 25, o reajuste tarifário da Cooperativa Aliança – Cooperaliança. Assim, a partir de 29 de agosto, haverá aumento de 9,49% para o consumo residencial; de 10,25% para consumidores comerciais atendidos em baixa tensão e 9,59% para os atendidos em alta tensão (caso das indústrias).

Dessa forma, o efeito médio para o consumidor será de 10%, um reajuste salgado e fora de hora, quando pessoas físicas e jurídicas continuam tentando se recuperar da crise de coronavírus. A energia elétrica é uma necessidade básica para as famílias e para as empresas, sobretudo as indústrias, representa um dos principais insumos. Mas isso não parece ter pesado na decisão dos diretores da agência reguladora.

Dentro do esperado

Estabelecida em Içara, a Cooperaliança atua também nos municípios de Balneário Rincão, Araranguá e Jaguaruna, abrangendo 40 mil unidades consumidoras. O aumento na casa dos 10% já era projetado pelos técnicos da concessionária e a tendência se consolidou após a aprovação do reajuste tarifário da Celesc, na semana passada, com efeito médio de 8,14%, pois a empresa catarinense é a atual fornecedora da cooperativa. Conforme a Aneel, o reajuste em ambos os casos foi impactado, em especial, pelo pelos custos de transmissão e aquisição de energia, com destaque para a compra de energia da usina de Itaipu, precificada em dólar.

Desoneração

Também nessa terça-feira, a Aneel divulgou que adotará uma ação para desonerar as tarifas de energia a partir de 2021. A diretoria da Agência determinou que suas áreas técnicas atuem para garantir consonância entre os saldos financeiros do fluxo de caixa e do fluxo econômico da Conta de Comercialização de Energia Elétrica de Itaipu. Com essa decisão, a Aneel busca que parte do saldo da conta em 2020 sirva para reduzir o valor do repasse da tarifa de Itaipu em 2021. Atualmente, o saldo da conta está em R$ 1 bilhão. A expectativa é que, com a alteração da metodologia, havendo sobra de arrecadação na conta, esse recurso poderia auxiliar a reduzir as tarifas.

Mercado livre

Para que consiga aplicar tarifas menores, a administração da Cooperaliança decidiu recorrer ao mercado livre para a compra de energia. O leilão já realizado definiu a Copel Comercializadora S.A, de Curitiba, no Paraná, como a nova fornecedora, mas o contrato só entrará em vigor em 1º janeiro de 2022. Até lá, o reajuste da cooperativa estará atrelado às tarifas da Celesc.

Empregos

Depois de voltar a apresentar saldo positivo de empregos com carteira assinada em junho, a Região Carbonífera teve novamente em julho mais admissões do que desligamentos. Com 11 dos 12 municípios obtendo saldo positivo, no mês passado houve 5.006 contratações, contra 3.794 desligamentos, o que resultou em 1.212 postos de trabalho a mais, conforme os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), divulgados na última sexta-feira (21).

Destaque

O destaque ficou por conta de Criciúma, que teve 499 admissões a mais que desligamentos, voltando a ter saldo positivo após três meses de perdas. Em seguida, aparece Içara, que com 234 postos de trabalho a mais voltou a ter saldo positivo no acumulado do ano. A seguir, vêm Forquilhinha com 117; Siderópolis com 108; Urussanga com 96; Nova Veneza com 60; Orleans com 33; Morro da Fumaça com 26; Lauro Müller com 17; Treviso com 15 e Balneário Rincão com sete. Em Cocal do Sul, o número de contratações (122) foi igual ao de demissões em julho.

Semestre

O desempenho no mês passado ajudou a Região Carbonífera a diminuir a perda de empregos formais no acumulado do ano. Agora, são 1.192 postos de trabalho fechados entre janeiro e julho – a maior redução ocorreu em abril, período de restrições às atividades econômicas por conta da pandemia.

Setores

Em Içara, o único setor que ainda apresenta déficit é a indústria, com 432 demissões a mais que contratações entre janeiro e julho. O setor de serviços registrou saldo positivo de 253 empregos no acumulado do ano, pouco à frente do desempenho do comércio, que adicionou 242 vagas. Houve ainda a colaboração da construção, com 25 postos de trabalho, e da agricultura, com sete, contribuindo para o saldo positivo de 95 no período.

Em Balneário Rincão, foram 51 postos de trabalho a menos no comércio no acumulado do ano, -11 na construção e -21 na indústria. Por ouro lado, o setor de serviços adicionou 97 vagas no período, proporcionando que o município tivesse saldo positivo de 15 empregos entre janeiro e julho (houve ainda uma vaga na agricultura).

No Estado

Santa Catarina registrou em julho o segundo mês consecutivo de variação positiva no saldo de empregos formais. Com 10.044 novas vagas abertas, teve o maior saldo entre os estados do Sul e o terceiro em relação ao resto do país, atrás apenas de São Paulo (22.967) e Minas Gerais (15.843). A aceleração foi puxada, especialmente, pelo setor industrial, que representou 76,4% das novas vagas criadas.

Ônibus

Esta semana marca a volta do transporte coletivo, com o retorno dos ônibus intermunicipais na Região Carbonífera ocorrendo antes mesmo que o Governo de Santa Catarina autorizasse a retomada em todo o Estado – o transporte interestadual já havia sido autorizado. O retorno ainda é com restrições e não há previsão de quando o serviço poderá voltar à normalidade. O setor de transporte de passageiros acumula prejuízos e perdas de postos de trabalho, sem perspectiva de recuperação a curto prazo.
+ Economia
Participe também com seus comentários

últimas notícias