Canal Içara

Canal Içara

12 de agosto de 2020 - 00:10
Economia »
Deinyffer Marangoni: Como o WhatsApp Pagamentos impactará nossas vidas?
16/06/2020 às 08:37 | Deinyffer Marangoni
A notícia no mundo dessa semana é a nova funcionalidade do WhatsApp: envio de dinheiro e pagamentos via aplicativo. O Brasil será o primeiro país em que esta inovação será oficialmente testada, e não é para menos, temos mais de 120 milhões de usuários cadastrados, dos pouco mais de 2 bilhões de pessoas que utilizam o app no mundo. Eu nem vou entrar em mais detalhes, você provavelmente já deve ter recebido a novidade em algum grupo e lido sobre.

Parece uma função aparentemente simples, com poucos impactos, afinal, uma boa parte da população já utiliza internet banking e contas digitais. Mas o que poucos perceberam é que nossos hábitos mudarão drasticamente com a ferramenta em um curto espaço de tempo. O WhatsApp dá mais um grande passo para se tornar o WeChat do ocidente.

O que é WeChat? É o app “faz-tudo” que mudou a vida dos chineses. Como? Esqueça um aplicativo para cada atividade! Muito mais que transferir dinheiro e pagar contas, o app chinês permite você comprar qualquer tipo de produto, realizar uma consulta médica, enviar um currículo para uma vaga de emprego, pedir um delivery, reservar pacotes de viagens, agendar horário em salões de beleza, chamar um táxi, liberar catraca no transporte público e o Governo Chinês testa o app, desde 2017, para ser a Identidade Digital no país.

Parece loucura? Na China já funciona muito bem e tudo indica que o WhatsApp seguirá os passos da gigante oriental. É só observar o tanto de empresas no país tupiniquim que, nesta pandemia, migraram sua força de vendas para o famoso app de mensagens instantâneas: Casas Bahia (Me chama no Zap!), Chilli Beans, Reserva, Polishop e por aí vai. Só faltava pagar e receber via WhatsApp, agora não falta mais. Que comece a era dos Super Apps.
Deinyffer Marangoni é formado em Administração, atua como executivo da Associação Empresarial de Içara e docente na Faculdade do Vale do Araranguá.
+ Economia
Participe também com seus comentários

últimas notícias