Canal Içara

Canal Içara

10 de julho de 2020 - 12:38
Economia »
Regionalização poderá aumentar restrições em cidades carboníferas
01/06/2020 às 14:33 | Redação | com a colaboração do Governo de SC
O Governo do Estado vai regionalizar as decisões para o enfrentamento à pandemia de Covid-19 a partir de 8 de junho. “Como a doença evoluiu de maneira distinta por Santa Catarina, precisamos de ações diferenciadas. Isso não significa que o Estado deixará de dar suporte aos municípios. As decisões devem ser baseadas em parâmetros como número de casos e óbitos, além de taxas de ocupação de UTI e de transmissibilidade. É importante destacar que esse não é um movimento de flexibilização, uma vez que entendemos que algumas regiões deverão tomar medidas mais restritivas”, destaca o governador Carlos Moisés (PSL).

Para a Região Carbonífera, a classificação de risco potencial grave apresentada aos secretários municipais de Saúde na última semana impõe, por exemplo, a continuidade na suspensão das aulas, do transporte coletivo, eventos esportivos e culturais, além do fechamento de shoppings, galerias, centros comerciais, bares, academias, igrejas e templos religiosos e serviços de alimentação (exceto na modalidade delivery/tele-entrega). Conforme o procurador-geral do Estado, Alisson de Bom de Souza, os municípios continuarão com a possibilidade de tomar medidas ainda mais restritivas com o apoio do Estado.

Em todo o estado, o transporte coletivo interestadual permanecerá suspenso até 2 de agosto enquanto o transporte intermunicipal poderá ser realizado a partir de 8 de junho nas regiões em que houver uma classificação compatível. Na rede de ensino, pública e privada, as aulas continuarão suspensas até 2 de agosto. A partir de 8 de junho, poderão ser realizadas atividades presenciais em estágios obrigatórios e aulas práticas e, após 6 de junho, no ensino superior. Até 5 de julho também não poderão ser realizados eventos esportivos e culturais.


Classificação de risco e medidas

Moderado:
- Permitir aulas presenciais com adaptações;
- Permitir o transporte coletivo urbano e rodoviário com adaptações
- Permitir os eventos esportivos, cinemas, teatros, casas noturnas, shows, espetáculos e outras atividades de forma que atendam as normas de distanciamento social, sanitização de ambientes e higienização com adaptações
- Permitir abertura de, shoppings, galerias, centros comerciais, bares, academias, centros comerciais, igrejas e templos religiosos, serviços de alimentação (exceto na modalidade delivery/tele-entrega), bares.

Risco alto:
- Suspender aulas presenciais nas unidades da rede pública e privada;
- Permitir o retorno do transporte coletivo urbano e rodoviário, com adaptações
- Adaptar os eventos esportivos públicos, cinemas, teatros, casas noturnas, shows, espetáculos e outras atividades de forma que atendam as normas de distanciamento social, sanitização de ambientes e higienização
- Adaptar o funcionamento de shoppings, galerias, centros comerciais, igrejas e templos religiosos, serviços de alimentação (exceto na modalidade delivery|tele-entrega) e bares, de forma que atendam as normas de distanciamento social, sanitização de ambientes e higienização

Risco grave:
- Suspender aulas presenciais nas unidades da rede pública e privada
- Suspender o transporte coletivo urbano e rodoviário
- Suspender os eventos esportivos públicos, cinemas, teatros, casas noturnas, shows, espetáculos e outras atividades de forma que atendam as normas de distanciamento social, sanitização de ambientes e higienização
- Fechar shoppings, galerias, centros comerciais, bares, academias, igrejas e templos religiosos e serviços de alimentação (exceto na modalidade delivery/tele-entrega).

Gravíssimo:
- Suspender todas atividades não necessárias.
+ Economia
Participe também com seus comentários

últimas notícias