Canal Içara

Canal Içara

17 de outubro de 2019 - 02:25
Economia » TransGas
TransGas projeta construção a partir de 2016
14/08/2014 às 08:22 | Especial de Andréia Limas, do Jornal da Manhã
Ainda não há uma definição sobre o local que receberá a TransGas Development Systems. Conforme o advogado Alexandre Fernandes, a empresa já iniciou a negociação para a compra de reserva mineral e a meta é fechar a negociação até o final deste ano. “Se a reserva já for licenciada, é mais rápido, pois o licenciamento de uma mina costuma durar entre um ano e um ano e meio. Se conseguirmos licenciar até o final do ano que vem, a construção começa em 2016”, prevê o representante da TransGas.

“Identificamos no Brasil a demanda por fertilizantes e a partir daí começamos a prospectar a instalação de uma fábrica. Como no país só há carvão nos estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, estamos mapeando as regiões, identificando reservas, para podermos implantá-la”, descreve o advogado. Quanto a construção, a estimativa é que dure 36 meses. “Ela será feita por estágios e, no pico, deve contar com 4 mil funcionários. Depois de pronta, serão 1,5 mil empregos diretos”, estima.

O investimento inicial do projeto deve ficar na casa dos US$ 2,7 bilhões. A possível instalação da carboquímica em Içara ainda é tratada em debate com a sociedade. Motivou também uma reunião com o Movimento Içarense pela Vida (MIV) nesta última quarta-feira, dia 13. “Explicamos o projeto e os impactos. Como é um grande empreendimento, as pessoas desconhecem e há uma reação apreensiva, mas acredito que conseguimos desmanchar um pouco os medos”, avalia Alexandre.

“Ouvimos o representante da empresa, colocamos todo o histórico do movimento e acho que fomos compreendidos. Não somos contra nenhum empreendimento, desde que haja a preservação da água, que é o nosso bem maior”, afirma um dos integrantes do MIV, Renato Brígido. Ele explica que o posicionamento final do movimento sobre a possível instalação em Içara será comunicado apenas na segunda-feira, quando os integrantes vão se reunir para analisar a questão.

+ Economia
Participe também com seus comentários

últimas notícias
notícias mais lidas