Canal Içara

Canal Içara

28 de outubro de 2020 - 15:16
Esportes » Brasileirão 2016
A desestrutura tática e o declínio da equipe
11/09/2016 às 02:00 | Erik Borges - erik.borges@canalicara.com
Jamira Furlani [Avaí FC]
O retrospecto era animador: três confrontos entre Criciúma e Avaí na temporada, três vitórias do Tricolor. Equipes praticamente empatadas em pontos na Série B do Brasileiro e o Tigre com desempenhos aceitáveis fora de casa. Estes fatores levaram a crer que o duelo seria no mínimo equilibrado.

Atuação indigerível
Mas a realidade é outra: vitória do Leão da Ilha por 3x0, resultado que saiu barato. Saiu baratíssimo, porque o modo como os jogadores do Criciúma se comportaram em campo foi simplesmente ridículo. Não há outra maneira de definir: ridículo e inaceitável.

Lances produzidos no “susto”, sem consciência e visão de jogo. É desta forma que o time criciumense se comportou neste sábado, dia 10, na Ressacada. Embora não seja “privilégio” desta última partida, os passes e cruzamentos realizados ardiam os olhos de quem assistiu àquela vergonha atuação.

Defesa frágil
O sistema defensivo não precisa rever o modo de abordagem, mas sim a profissão. Incluindo o goleiro Luiz, que, juntamente com a dupla de zaga, protagonizaram cenas vexatórias. A falta de comunicação e cobrança entre os atletas é assustadora. Nem a presença dos aproximadamente 100 torcedores criciumenses no Estádio da Ressacada fez com que os jogadores se comovessem e jogassem como jogadores profissionais.

Pelo contrário, os atletas comportaram-se como amadores. A cada tentativa desenfreada de ataque mal planejado, gol do Avaí. Isso só acontece em razão da desestrutura tática. Cruzamentos desesperados não revertem placares com vantagem elástica. Sem falar nos contra-ataques rápidos que o Criciúma sofreu durante os 90 minutos.

Tchau, Roberto Cavalo!
Um bom técnico tem a função de explorar ao máximo as qualidades de seus comandados, mas também concordo que um técnico despreparado consegue piorar uma equipe em níveis inimagináveis.

É isso que o técnico Roberto Cavalo está fazendo com o Criciúma. Apesar de ter perdido peças importantes na temporada, como Roger Guedes e o centroavante Gustavo, Roberto Cavalo é responsável direto pela estrutura técnica e tática do Criciúma nos jogos.

Ele está desempenhando a função de maneira incompetente e merece a demissão imediata. Tchau, Roberto Cavalo! Se o comando diretivo do clube ainda não tomou a decisão de demiti-lo, cabe ao torcedor deixar bem claro sua insatisfação com o rumo que as coisas estão tomando. A zona de rebaixamento à Série C está próxima...
+ Esportes
Participe também com seus comentários

últimas notícias