Canal Içara

Canal Içara

15 de outubro de 2019 - 20:43
Segurança »
“Morreu na tentativa de se proteger”
19/07/2013 às 09:09 | Especial de Amanda Tesman, do Jornal da Manhã
A brutalidade do assalto praticado na sede esportiva do bairro Barracão, em Içara, que terminou com a morte de um assíduo frequentador, chocou os içarenses. Amigos e familiares de Francisco Bitencourt de Araújo, 44 anos, estiveram no Cemitério Municipal para prestar as últimas homenagens à vítima do latrocínio nesta última quinta-feira, dia 18. “Morreu na tentativa de se proteger”, disse Ademir Bitencourt Araújo, de 54 anos, que saiu de Joinville para se despedir do irmão.

“A notícia pegou todos de surpresa. Estamos muito abalados com o que aconteceu. É algo que ninguém espera. Ele estava no bar, que é um lugar de encontro, onde todos riem e brincam, e olha o que foi ocorrer”, comentou o irmão. “Conhecia ele desde pequeno. A gente fica meio apavorado com isso. Foi uma morte violenta em um lugar que deveria ser de diversão”, pontuou Augusto Lourenço, de 78 anos.

Chiquinho, como era popularmente conhecido, estava no bar, na noite de quarta-feira, juntamente com mais 15 pessoas, aproximadamente, quando dois homens de capacete entraram no estabelecimento e anunciaram o assalto. Ele entrou no banheiro, mas os bandidos foram atrás e efetuaram os disparos de arma de fogo. Um tiro atingiu o homem. Outro cliente ficou ferido durante a ação. Após o ocorrido, os ladrões praticaram mais dois roubos a comércio, todos com o uso de violência.

“Nunca tinha visto nada desse tipo aqui. Vou passar um bom tempo sem frequentar o bar”, falou A.M.O., de 46 anos. Ele também se encontrava no local no momento da ação criminosa. “Um dos assaltantes passou do meu lado e ainda me cumprimentou”, disse.

A vítima era uma pessoa bastante conhecida e querida no bairro. “Ele nasceu e foi criado no Barracão. Era uma pessoa muito importante para nós. As tragédias acontecem com as pessoas que não merecem. A comunidade está bastante chocada”, observou um dos vizinhos de Francisco, Manoel da Silveira, de 65 anos. “Meu tio não tinha inimigos. Era um homem bom, que tinha amizade com todos. O bairro inteiro gostava dele”, recordou o sobrinho, Jobson Martins Araújo, de 22 anos. Francisco deixou esposa e um filho de 14 anos. O enterro foi realizado às 17 horas no Cemitério Municipal.

Um dos assaltantes envolvidos na série de roubos continua internado no Hospital São José, em Criciúma. A.N.C., de 26 anos, segundo a Polícia Militar, foi atingido por um disparo de arma de fogo no antebraço direito. Assim que receber alta, ele será encaminhado ao Presídio Santa Augusta. O jovem foi autuado em flagrante por latrocínio (roubo seguido de morte), roubo com uso de arma de fogo e disparo de arma de fogo. O comparsa, Eduardo Freitas Marques, de 31 anos, foi morto em confronto com a Polícia Militar. A dupla foi abordada no bairro Sangão, em Criciúma, depois de praticar três assaltos em Içara. Dois revólveres calibre 38 e mais de R$ 10 mil foram apreendidos com eles.

O Inquérito Policial está sendo presidido pelo delegado Fernando Possamai, da Central de Plantão Policial (CPP). Na quinta-feira ele ouviu quatro pessoas, que foram alvo dos bandidos no bairro Vila São José. Para hoje está agendado a oitiva das vítimas do bairro Barracão e Vila Nova. O procedimento deve ser finalizado em dez dias e, posteriormente, remetido ao Poder Judiciário de Içara. Segundo a autoridade, pelo que tomou conhecimento, o disparo que vitimou Francisco teria sido efetuado por Eduardo, que foi morto em confronto com a polícia.

+ Segurança
Participe também com seus comentários

últimas notícias
notícias mais lidas