Canal Içara

 
20 de maio de 2022 - 13:53
#Cotidiano #Economia #Política #Segurança #Esportes +Leitor-repórter +Guia Içara
Cotidiano »
Raquel Bettiol Casagrande: a realização do sonho da maternidade
Com essa inspiradora história de vida, um feliz Dia das Mães!
08/05/2022 às 10:37 | Simone Luiz Cândido
Em 2019, após alguns estudos sobre fertilização, Raquel Bettiol Casagrande procurou um médico de confiança, buscando realizar seu sonho da maternidade. O médico lhe passou todas as informações necessária sobre os procedimentos que a medicina oferece atualmente.

Após o tratamento, óvulos foram coletados e fertilizados. Após cinco dias o laboratório, dois embriões estavam em pleno desenvolvimento e foram implantados. Assim seguiu e os dois bebês - uma menina que se chamam Giovanna e um menino Anthony Davi - nasceram no dia 15 de novembro de 2021.

“Confesso que é misto de sentimentos, a alegria, a felicidade que essas crianças representam na minha vida não tem nada maior, mas junto a isso vem o medo de não dar conta da missão, a preocupação de todos os dias se estão bem, a preocupação com o futuro e se conseguirei dar uma boa educação a eles, ficar longe é tortura e a saudade é grande. Um dos momentos que mexeu muito foi chegar com eles do hospital. nasceram de 37 semanas em decorrência de uma restrição no fluxo do cordão do Anthony Davi, eram muito pequenos e frágeis. porém no hospital eles eram monitorados a todo instante pelas enfermeiras", indica Raquel.

"Em casa, agora seria por minha conta e isso assustou um pouco. Cada dia que passava era como ganhar um prêmio, me sentia vencedora, por ter conseguido mais um dia, e ver que estava tudo bem. Claro que não estava sozinha, minha mãe Clarice sempre ao meu lado e sempre que precisei as dindas estiveram à disposição", completa.

Aos poucos Raquel foi acostumando com a nova rotina e aquela forma mecanizada de lidar com essa novidade de ser mãe. Tudo começou a fluir mais naturalmente porque mãe e bebês passam a se conhecer melhor, passou a identificar cada necessidade deles. Não precisava mais ficar me policiando para não esquecer de nada. O medo de não acordar a noite foi substituído por um sensor que nunca desliga e a qualquer movimento já acorda. Quando falavam acreditava que isso seria impossível, mas mãe é assim mesmo.

A recuperação do parto se deu bem, eles foram desenvolvendo super bem, houve o período das cólicas que foi o mais desgastante, mas tudo passa muito rápido. Logo já veio a fase do sorriso, fase de pegar as coisas, balbuciar algumas coisas. É uma linda fase onde se tenta identificar a formação de palavras, identificam as vozes de algumas pessoas. Toda semana é uma nova descoberta, Giovanna e Anthony Davi já estão com cinco meses na fase de querer ficar sentados e o incomodo na boca se preparando para o surgimento dos dentes.

Ser mãe de um bebe é desafiador, de dois ao mesmo tempo exige muito mais paciência, resistência física e emocional. É maravilhoso e divino, mas a preocupação é dobrada, o tempo fica mais limitado, demanda muito mais tempo na hora de sair de casa, demanda ajuda constante de uma segunda pessoa para uma ida ao médico, para um passeio, e até mesmo em casa para dar conta dos afazeres. enquanto um dorme é hora de fazer a função de trocar, alimentar, acalentar, fazer o outro dormir. Quando este se acomoda, o outro já está abrindo os olhos e segue toda a função de novo e assim segue por todo o dia. É dedicação 24 horas por dia e as vezes mal se consegue um banho, uma alimentação adequada.

Com retorno ao trabalho, foi necessário deixar na escolinha, mas com a mudança do clima, os resfriados também chegam e pra preservar as demais crianças, os bebês em casa e o trabalho ficou com a avó. exaustivamente e amorosamente ela tem cuidado dos dois. Por uma semana Raquel contou com a ajuda de uma pessoa, mas a questão financeira com dois bebês também é um desafio. Precisam de roupas, de remédios, de consultas... tudo é dobrado. tudo que você precisa para uma criança, neste caso deve ser multiplicado. E para uma mãe solo, que optou por não contar com a ajuda de um pai, isso é um grande desafio também.

Para a avó, Clarice, não tem explicação o que é ser avó. "Ser mãe é bom ser avó é muito mais. Não existem palavras que possam descrever a real sensação de ser avó o quanto me fez bem. A felicidade toma conta da gente, meus netos encheram a casa de alegria, quando não estou atendendo um, atendo o outro. Eles acordam dão o sorriso, já ganhou meu dia com o sorriso e o olhar deles. Eles transformaram a minha vida, é tudo de maravilhoso ter eles conosco. Não é fácil pois são dois, mas é maravilhoso. Me motivam todos os dias me são forças pra seguir em frente.”



Dona Clarice tem um papel fundamental na vida dos netos e da filha Raquel, pois, nos bastidores é ela quem dá o maior suporte. As dindas estão sempre presentes e a disposição quando precisam de algo, o tio de Raquel Adejaime e Angelina sua esposa, levaram o título de avós do coração, estão em constate preocupação e sempre presentes em não falta amor e apoio. Os amigos também se fazem presentes e atuam com muito carinho com a família. O amor é uma importante ferramenta para superação os dias mais difíceis.

“Quando tomei minha decisão de fazer a FIV, um dos meus maiores receios era sobre como meus avós aceitariam essa novidade, já que eram pessoas mais idosas, de uma cultura e costumes mais tradicionais em relação a filhos e casamento. Optar por ser mãe solo me preocupou sobre como encarariam a situação. Para minha surpresa, tive todo amor e apoio. Da parte de minha mãe as crianças tem o casal de bisavós vivos e da parte do meu pai apenas o bisavô. Este, sempre que pode estar aqui pra ver as crianças. Tem tanto amor e admiração que nos emociona. Os bisavós maternos ficam maravilhados quando levo as crianças, são a realização da vida deles também. Percebo que quando chego com as crianças é como se toda a casa se enchesse de amor, é nítido como eles mudam quando estão em contato com as crianças. Sou grata por Deus me permitir dar a eles essa alegria em vida. Já são bem idosos, entre 85 e 90 anos, e quero que aproveitem essa alegria cada momento possível.”

Esses meses tem sido de total realização. Era um sonho que foi amadurecendo e a cada passo, com muito amor e cuidado, o sonho de ser mãe foi realizado. Anthony Davi e Giovanna são um sonho, que passando por cima de todos os medos e desafios, se realizou.

“Olho para o passado e não me reconheço na pessoa e vida antes da maternidade. Ser mãe preenche todos os espaços da casa, da vida e do coração. Ser mãe é a sensação mais linda da vida! e sonhar isso e ver realizando todos os dias faz você se encher de orgulho força e determinação todos os dias pra ser o melhor para esses dois bebês que Deus mandou para mim.”

Com essa inspiradora história de vida, um feliz Dia das Mães!
Simone Luiz Cândido é voluntária na causa adoção de crianças e adolescentes; já participou de três antologias com suas crônicas, além disso, ama escrever reflexões sobre a vida cotidiana, eternidade, amor e convivência.
Participe também com seus comentários

 COBERTURAS ESPECIAIS
últimas notícias

Conheça as marcas que potencializam o crescimento da cidade