Canal Içara

Canal Içara

22 de setembro de 2020 - 10:32
Cotidiano »
Simone Cândido: uma crônica pelo Dia Nacional do Escritor (25 de julho)
25/07/2020 às 09:45 | Simone Luiz Cândido
O dia 25 de julho foi escolhido pelo ex-ministro da Educação e Cultura Pedro Paulo Penido, em 1960, para homenagear escritoras e escritores brasileiros. A escolha dessa data deve-se à realização do I Festival do Escritor Brasileiro, patrocinado pela União Brasileira de Escritores (UBE), que ocorreu em 25 de julho de 1960. A partir desse ano, o dia 25 de julho é comemorado em todo o país. Nessa ocasião, são organizados eventos que buscam valorizar autores e autoras da literatura brasileira e incentivar a leitura de suas obras.

No Dia Nacional do Escritor, são realizadas solenidades e outros eventos em escolas, bibliotecas, academias e órgãos públicos para comemorar o trabalho e a vida de escritoras e escritores brasileiros. Essa data é propícia à reflexão acerca das dificuldades pelas quais, eventualmente, essa classe passa no que se refere à produção e divulgação de seus trabalhos, bem como em relação a questões legais que envolvem o direito de autor.

O gosto pela escrita pode surgir ainda na mais tenra infância ou na juventude até mesmo na fase adulta. Escrever é registrar momentos, contar histórias, tornar amores possíveis através da escrita.

Muitas vezes nós escritores narramos fatos ou acontecimentos cotidianos, alguns felizes outros nem tanto. Cada vez que escrevemos um texto colocamos nossos sentimentos opiniões podendo levar nossos leitores a refletirem determinados acontecimentos.

Ser escritor requer amor e dedicação á escrita, transferimos sentimentos aos textos que emocionam, outras vezes homenageamos pessoas queridas com poesias ou crônicas. Não importa o estilo literário cada um tem seu dom e seu jeito de escrever.

Em 2018 com o incentivo dos queridos amigos escritores João Carlos Zeferino e Dioni Fernandes Virtuoso e do jornalista Lucas Lemos decidi dedicar-me á escrita e de lá para cá pude contar muitas belas histórias de vida. Escrevi várias poesias, alguns contos e muitas crônicas, pois é o estilo que mais me identifico. Amo escrever reflexões sobre a vida cotidiana, eternidade, amor, convivência.

Falo de eternidade, pois assim posso mostrar aos outros a certeza de que a vida continua além daqui desse planeta em que vivemos. Nesse dia do escritor desejo que todos os escritores tenham muitas boas inspirações e que cada um de nós continue levando a arte da literatura onde estivermos.
Simone Luiz Cândido é voluntária na causa adoção de crianças e adolescentes; já participou de três antologias com suas crônicas, além disso, ama escrever reflexões sobre a vida cotidiana, eternidade, amor e convivência.
+ Cotidiano
Participe também com seus comentários

últimas notícias