Canal Içara

Canal Içara

20 de setembro de 2021 - 01:55
Cotidiano »
Simone Cândido: Vamos ajudar quem está em nosso entorno?
19/06/2021 às 10:42 | Simone Luiz Cândido
Há aproximadamente um ano e meio estamos vivendo uma pandemia. Essa que tem nos deixado por muitas vezes tristes, sem ação em meio aos acontecimentos que estamos presenciando. Nossos hábitos mudaram, agora temos que ter muitos cuidados para que nossa saúde seja mantida. E em todo esse tempo, adultos, e também as crianças, tem se tornado apreensivos. Vivemos tempos muito difíceis inimagináveis.

Mesmo vivendo numa época de pandemia, não podemos descuidar de nossa saúde, seja a parte física ou mental. Muitas pessoas acreditam que buscar ajuda médica ou psicológica é procurar doenças. Outros ainda dizem: "Quem procura acha". O medo de descobrir algum tipo de doença ou algum momento em que seja necessário tratar-se pode trazer para alguns constrangimentos ou medos. Existem alguns desses medos pelo julgamento que alguns farão.

Tempos atrás, pessoas eram internadas em sanatórios e tidas como "loucas". Criou-se a ideia de que se alguém precisar tomar remédios antidepressivos é por que é louco. Nos tempos atuais, precisamos desmistificar essa ideia equivocada. Se precisarmos tomar remédios para depressão ou qualquer outra doença que seja, precisamos ter a aceitação de que nos fará bem. Os tratamentos psicológicos também são necessários. Ajudam muito no tratamento.

Quando se descobre uma doença mais difícil de obter a cura, podemos ter momentos difíceis e aí entra a ajuda psicológica que, aliada aos medicamentos, e a aceitação do tratamento podem trazer a cura mais rápida e eficaz. Se cada um de nós mudar esse tipo de pensamento equivocado de não usar remédios, de não procurar doenças, utilizando outros termos como, por exemplo, prevenção, pois prevenir ainda é o melhor remédio. Poderemos evitar que muitas doenças sorrateiras nos façam perder a vida tão cedo.

Precisamos nos unir quando alguém estiver precisando de um apoio, seja numa conversa ou companhia. Não conseguiremos estar com muitas pessoas, nem darmos atenção. Podemos mudar os pensamentos quando, em vez de criticamos as dores alheias, lhes oferecermos afeto e até nossas preces. E se hoje não pudermos estar com alguém ou fazermos algo de concreto, podemos lhes dizer hoje eu farei preces por você.

Somos humanos e sentimos dores físicas, mentais, as ditas dores da alma. Remédios ajudam no tratamento, mas as feridas da alma necessitam de apoio. Se alguém próximo de nós precisar de apoio, pode indicar o Centro de Valorização Da vida (CVV). No número 188 há voluntários que se dispõem a ouvir a quem precisa com uma palavra amiga com total sigilo. E se esse alguém somos nós, podemos mudar nosso conceito de que precisamos sim de apoio.

Em tempos em que a depressão assola crianças, jovens, adultos e idosos, vamos nos unir àqueles que amamos. Mudando conceitos sem julgamentos, sem críticas... Quem tem depressão sabe o significado de suas dores e seus dias sombrios. Nunca devemos dizer não é nada. Tem muito sorriso disfarçado dores interiores que não conhecemos.

Comecemos nosso fim de semana olhando ao nosso redor e quem sabe poderemos ajudar alguém, até mesmo a aceitar o tratamento necessário. Assim faremos uma grande corrente de amor ao próximo transformando o mundo em que vivemos.

+ Cotidiano
Participe também com seus comentários

últimas notícias