Canal Içara

Canal Içara

06 de julho de 2020 - 05:46
Economia »
Vagas temporárias diminuem mais de 50%
26/11/2013 às 13:01 | Especial do Jornal Gazeta
O mês de dezembro está chegando e é geralmente nos primeiros dias, que os lojistas dos mais diversos segmentos passam a contratar novos funcionários para atuar na temporada de Natal e verão. Em Içara, mais de 400 vagas foram disponibilizadas no ano passado. Número que caiu mais que a metade com a emancipação do Balneário Rincão.

De acordo com o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Paulo Roberto Brígido, é na praia que se concentra a maior disponibilidade de emprego, por ter estabelecimentos que funcionam somente na temporada. “Uma sorveteria que abre só no verão, uma loja nova que foi criada, etc. A população do Rincão aumenta muito no verão e, com isso, a demanda é maior. Portanto, é preciso mais funcionários em supermercados, lojas, bancos”, sintetiza.

No entanto, os içarenses também poderão ter a oportunidade de trabalhar na cidade. São 238 associados à CDL e cerca de 130 vagas estão sendo oferecidas. “Desses associados, muitos são prestadores de serviço. Como dentistas, médicos e mecânicos que acabam não contratando. E um levantamento que fizemos aponta que as lojas aumentam cerca de 40% o seu quadro de funcionários. Então dependendo do estabelecimento, estarão sendo contratados 4, 5, 10 ou mais funcionários”, aponta Brígido.

O presidente da CDL explica que essa é a oportunidade de quem quer conquistar uma renda extra. “Aproveitar essas vagas temporárias é fundamental, inclusive, para que elas quem sabe se tornem permanentes. É uma oportunidade de ganhar uma graninha extra e aumentar o orçamento da família. Muitos dos trabalhadores de hoje, iniciaram sua jornada em empregos temporários. Se destacaram e garantiram sua vaga para o ano inteiro”, explica.

Apesar das vagas serem muitas, o grande problema dos empresários é a falta de mão de obra qualificada. Santa Catarina possui cerca de 40 mil vagas de empregos na temporada de verão, mas sofre com o problema da falta de qualificação. A maioria das vagas no estado são para bares, restaurantes, hotéis e lojas. Em Içara o problema também se encontra presente. Segundo Brigido, os comerciantes têm a dificuldade de encontrar o perfil adequado.

“Falta mão de obra qualificada. E esse já é um problema antigo, que os lojistas sempre reclamam. Muita gente sem experiência e pelo pouco tempo, não é possível realizar treinamento. O comércio exige pessoas que já tenham trabalhado, que tenham algum tipo de conhecimento. Por isso a orientação é que os interessados procurem se qualificar, para ter mais sucesso na hora de procurar emprego”, avalia.

No Sine de Içara a coordenadora Daiane da Luz Cabreira diz que apenas uma vaga foi aberta até o momento e que já foi inclusive fechada. Segundo ela, por se tratar de empregos temporários, as contratações ocorrem geralmente de maneira informal. “Principalmente quem busca o primeiro emprego. A pessoa já vai direto na loja, leva o seu currículo e as contratações são feitas dessa forma. São poucos os que procuram o Sine e também os que anunciam. E deve se manter assim até o fim da temporada”, pontua.

Já para o Balneário Rincão existem algumas vagas disponíveis, mas o processo é mesmo. “Também contratações informações. A emancipação do Rincão não diferiu em nada para nós. Continuamos atendendo as vagas do novo município e as pessoas podem buscar diretamente aqui no Sine. Até já existe as tratativas para a instalação de um Sine na praia, mas por enquanto o atendimento continua sendo feito por Içara”, completa.

A loja Look Bijuterias e Acessórios está disponibilizando duas vagas de atendentes. Interessados já deixaram currículos, mas de acordo com a proprietária Zuleica Di Domênico Pizzetti, a procura este ano está muito menor do que no ano passado.

“Nessa época, em 2012, nós já tínhamos muitos currículos. Já esse ano estamos tendo uma certa dificuldade. Porque procuramos pessoas qualificadas, com experiência, já que não temos tempo de ficar ensinando”, coloca. A contratação será já para o mês de dezembro. “Ainda dá tempo de deixar currículo, vamos analisar todos e ver qual melhor se encaixa às nossas exigências. O trabalho inicia no dia 1º de dezembro”, acrescenta Zuleica.

Com a dificuldade enfrentada no ano passado para achar mão de obra qualificada, a loja Fortulino resolveu se antecipar. As chamadas iniciaram em outubro e a maioria das vagas já foi preenchida. “Ano passado nos vimos no apuro porque chamamos em novembro para contratar em dezembro e não deu muito certo. Então resolvemos fazer mais cedo para não ter esse problema. Da mesma forma, foi difícil. Está complicado achar meninas realmente interessadas em trabalhar e que tenham alguma noção de atendimento. Hoje é difícil quem procura se qualificar antes de buscar um emprego”, finaliza a gerente comercial Andréia Destro.

+ Economia
Participe também com seus comentários

últimas notícias