Canal Içara

Canal Içara

09 de dezembro de 2019 - 18:49
Política » Auditoria na Cooperaliança
JR reassume presidência da Cooperaliança
23/11/2012 às 14:27 | Lucas Lemos - lucas.lemos@canalicara.com
Pedro Deonízio Gabriel repassou a presidência da Cooperaliança para o vice Jorge Rodrigues em reunião do Conselho de Administração na tarde desta sexta-feira, dia 23. Com isso, mesmo afastado do cargo em assembleia extraordinária continuará recebendo salário nos próximos três meses. De início serão 60 dias fora da distribuidora de energia para tratamento médico. Neste mesmo mês, Pedro Gabriel chegou a ser internado devido a problemas de saúde.

Conteúdo relacionado:
31/10/2012 » Juiz nega suspensão de assembleia
29/10/2012 » Conselho apresenta diferença de R$ 2,8 mi
26/10/2012 » Cooperativa apresenta lucro de R$ 558 mil


“Fico surpreso novamente. Mas o procedimento será o mesmo. Vamos manter toda a pauta, inclusive a possibilidade de afastamento do presidente. Agora o Jurídico verá se isto atingirá o Jorge Rodrigues, ou não. Não vamos retirar este assunto, pois amanhã pode o Pedro Gabriel melhorar e retornar o cargo”, coloca o coordenador do Conselho Fiscal, Márcio Toretti.

Esta não é a primeira vez que JR assume a função. Entre julho e setembro ele também comandou a cooperativa por causa do afastamento do então presidente no Escândalo das Cédulas. O caso foi investigado pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas em decorrência do beneficiamento indireto da distribuição de energia na extinção da Área de Preservação Ambiental de Santa Cruz e mudanças nas atribuições da Fundai. O afrouxamento era requerido para a instalação a Mina 101.

Entretanto, JR também acabou indiciado mais recentemente pelo Gaeco na Operação Moralidade. Ele foi apontado como tesoureiro da campanha de Gentil da Luz e José Zanolli. E além do intermédio de empréstimos para o financiamento eleitoral, apareceu como um dos empresários que superfaturava notas em serviços para a Prefeitura Municipal. A força-tarefa de investigação indicou que o dinheiro das notas frias seria para o pagamento dos financiamentos obtidos na disputa majoritária de 2008.

PAUTA – Apesar dos indiciamentos do presidente e do vice em escândalos na cidade, a pauta da assembleia geral é focada num outro debate. Conforme o coordenador do Conselho Fiscal, Márcio Toretti, a reunião extraordinária será realizada para apresentar a situação administrativa da Cooperaliança. O grupo pede ainda auditoria nos últimos quatro anos e o afastamento do presidente e do secretário. “Todo associado tem direito de saber o que está ocorrendo, por exemplo, a concessão de segurança empregatícia”, acrescenta. O evento está marcado para este sábado, dia 24, a partir das 14h no ginásio da Escola Professora Salete Scotti dos Santos.
+ Política
Participe também com seus comentários

últimas notícias
notícias mais lidas