Canal Içara

Canal Içara

21 de abril de 2019 - 15:23
Política » Mina 101
Murialdo repercute na Câmara Municipal
29/03/2010 às 22:04 | Lucas Lemos - lucas.lemos@canalicara.com
Desafeto de pelo menos metade dos legisladores içarenses, o ex-vereador Murialdo Canto Gastaldon (PDT) ainda repercute na Câmara Municipal. Na noite de segunda-feira, dia 29, ele foi atacado por criticar na imprensa os integrantes da casa que mudaram de posicionamento sobre o beneficiamento e depósito do rejeito do carvão na cidade. Fez isto insinuando que os legisladores venderam o voto, mas sem mencionar os cinco nomes que estavam no projeto de lei criado para impedir a atividade. Dentre as assinaturas juntadas no documento, somente duas acabaram ratificadas. Foram as do próprio propositor da matéria, Geraldo Baldissera (PDT) e a de André Jucoski (PSDB).

Conteúdo relacionado:
22/03/2010 » Sessão lotada e de ânimos acirrados
22/03/2010 » Para Rio Deserto, está tudo liberado

Na tribuna, as críticas mais fortes foram de Darlan Carpes (PT), que rotulou o ex-vereador de Murialdo Gaspardon em alusão ao cargo que ocupava no Conselho Gestor da Prefeitura Municipal de Içara. “Ele tem o teto de vidro, bem fininho, que até um pica-pau quebra”, criticou. “Em baixo dele não nasce nada”, também cutucou o presidente do Legislativo, Acirton Costa (PMDB). Ainda com os microfones ligados, Darlan repudiou o Jornal Agora, veículo em que Murialdo assina textos opinativos. E, nos bastidores, o grupo de vereadores ofendidos pediu a demissão do colunista.

O TEXTO DA DISCÓRDIA: “Outro dia, um dono de imobiliária me disse que procurou o proprietário de um lote de esquina na área central, porque sobre o terreno tinha uma placa de ‘vende-se’. Ao encontrá-lo, perguntou o preço que o proprietário queria pelo lote. Este respondeu que não pretendia vendê-lo. Que tinha posto aquela placa lá apenas para fazer preço. Essa colocação responderia a pergunta do parágrafo anterior?”, escreveu Murialdo. O questionamento seguiu após também perguntar aos leitores do Agora na edição da última sexta-feira, dia 26, “por que votar contra um projeto que assinaram”.
Participe também com seus comentários

últimas notícias
notícias mais lidas